top of page
Buscar

11 funcionários da ONU foram mortos em ataques aéreos israelenses


Imagem: Yahya Hassouna/ AFP.

Onze funcionários da agência das Nações Unidas para refugiados palestinos foram mortos em ataques aéreos desde o início dos bombardeios israelenses em Gaza no último sábado (7), disse o vice-diretor da agência nesta quarta-feira (11). Este é o quinto dia de conflito no Oriente Médio, que já deixou mais de 2 mil mortos.

“A proteção dos civis é fundamental, inclusive em tempos de conflito (...) Eles deveriam ser protegidos de acordo com as leis da guerra.”, falou Juliette Touma, diretora de comunicações da agência. Touma disse que os ataques mataram funcionários da ONU dentro de suas casas.

Ela também informou que 18 escolas administradas pela agência que haviam sido transformadas em abrigos sofreram danos após os bombardeios e que a sede na cidade de Gaza foi danificada, sem causar vítimas. Em um comunicado divulgado também nessa quarta-feira, a Cruz Vermelha, em conjunto com a Crescente Vermelha, informou que cinco funcionários morreram atuando na região de conflito. Quatro deles em ataques a ambulâncias.


Israel afirmou nessa quarta ter conseguido destruir um avançado sistema de defesa para detecção de aeronaves desenvolvido pelo Hamas. Com isso, o grupo terrorista deve enfrentar dificuldades para monitorar as atividades aéreas na Faixa de Gaza.


As Forças de Defesa de Israel afirmaram ainda ter feitos novos bombardeios contra a Faixa de Gaza, destruindo alvos ligados ao Hamas. No entanto, autoridades locais alegam que diversos alvos civis também foram atingidos. Foram mais de 400 ataques nas últimas 24 horas, sendo ao menos 200 só nessa quarta.


Um dos ataques israelenses, segundo autoridades do Hamas, atingiu a casa da família de Mohammad Deif, um dos dois líderes militares do grupo terrorista. O bombardeio matou o pai e o irmão de Deif, além de outros dois parentes. O paradeiro de Deif segue desconhecido.


Ao todo, 2,3 mil pessoas morreram, segundo os dois lados. Dois brasileiros estão entre as vítimas: Bruna Valeanu e Ranani Glazer.


Fonte: g1

0 comentário
WhatsApp Image 2024-02-26 at 16.17.18.jpeg
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page