top of page
Buscar

14 de junho, dia do Doador de Sangue: conheça os principais mitos sobre doação de sangue


A doação de sangue é uma ação simples e que pode ajudar até quatro pessoas por cada transfusão. No entanto, infelizmente, a maioria dos bancos de sangue recorrem a campanhas para sanar baixas taxas de doação. Um dos motivos que afasta doadores é o grande número de mitos sobre o tema — desde supostas "consequências" na transfusão até pessoas que seriam proibidos de doar.


Por isso, neste 14 de junho, data em que ocorre o Dia do Doador de Sangue, o Correio conversou com um hematologista para derrubar os principais mitos por trás do tema e sanar as principais dúvidas.

Segundo o hematologista Dr. Diogo Kloppel, alguns dos principais mitos sem qualquer comprovação cientifica são: quem doa sangue uma vez tem que doar sempre pois senão fica fraco; quem doa engorda ou emagrece; a doação pode “afinar” ou “engrossar” o sangue; a doação causa coceira; e que mulheres menstruadas não podem doar. “Todas essas afirmações são falsas e não têm nenhum embasamento”, afirma o especialista.

Vale ressaltar ainda que em uma mesma doação são retirados de 450 a 500mL de sangue total e que essa quantidade consegue ajudar até quatro pacientes.

Confira abaixo as principais informações sobre a doação de sangue

Quem pode doar?

  • Pessoas entre 16 e 69 anos de idade — menores de 18 anos devem apresentar o formulário de autorização e cópia do documento de identidade com foto do pai, mãe ou tutor/guardião e idosos devem ter realizado pelo menos uma doação de sangue antes dos 61 anos

  • Pesar mais de 51 quilos e ter IMC maior ou igual a 18,5 (descontado do vestuário)

Atividades que impedem temporariamente a doação

  • Tatuagem: pacientes que fizeram tatuagem recente são impedidos de doar por um período de 6 meses

  • Furo na orelha: aguarde 12 meses após o procedimento

  • Piercing: aguarde 12 meses após o procedimento — o prazo pode diminuir para seis meses se o candidato à doação apresentar foto do registro do estúdio na Vigilância Sanitária e nota fiscal do estabelecimento.

  • Piercing na boca ou na região genital: impede a doação por pelo menos 12 meses após a retirada do acessório.

Pessoas da comunidade LGBTQIAP+ podem doar?


O Dr. Diogo Kloppel explica que em 2020 o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que homossexuais do sexo masculino não são mais impedidos de doar sangue com base na condição sexual.

“Todos os membros da comunidade LGBTQIAP+ estão liberados a realizar a doação de sangue no Brasil desde então”, explica o hematologista.

Contudo, o que impede temporariamente, neste caso para qualquer pessoa, sendo da comunidade LGBTQIAP+ ou não, é ter mais de dois parceiros sexuais num período de seis meses antes da doação.


Principais doenças que impedem a doação em definitivo

Segundo a Fundação Hemocentro de Brasília, 50 doenças impedem que uma pessoa possa doar sangue pelo resto da vida.

  • Todos os tipos de câncer, independente de estar ou não em remissão;

  • Diabetes tipo I e diabetes tipo II insulino-dependente;

  • Aneurisma intracraniano;

  • Antecedente de acidente vascular cerebral;

  • Asma grave e Bronquite (crises recorrentes e necessidade de controle com medicamentos);

  • Cirrose hepática;

  • Doença autoimune (lúpus eritematoso sistêmico, artrite reumatóide, tireoidites imunes como doença de Graves, hipotireoidismo de Hashimoto, etc.);

  • Doença cardiovascular grave (ex: doença coronariana, angina, infarto, arritmia grave, malformações cardíacas, insuficiência cardíaca, aneurismas, etc.);

  • Doença pulmonar grave (enfisema, doença pulmonar obstrutiva crônica, histórico de tromboembolismo pulmonar);

  • Doença renal crônica;

  • Doença neurológica (esclerose em placa, esclerose múltipla, hematoma extra ou subdural com sequela, miastenia gravis, neurofibromatose forma maior);

  • Esquizofrenia;

  • Hepatite B ou C;

  • Hipotireoidismo;

  • HIV/AIDS;

  • Transplante de córnea;

  • Tuberculose extrapulmonar;

A lista completa das doenças que impedem a doação você pode conferir no site do Hemocentro.


O que precisa fazer antes e depois de doar?

Principais cuidados antes da doação

  • Dormir pelo menos seis horas, com qualidade, na noite anterior à doação;

  • Não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas anteriores à doação;

  • Não fumar duas horas antes da doação.

Alimentação antes de doar

  • Não precisa estar de jejum, pelo contrário, é importante estar bem alimentado para doar sangue;

  • Beber bastante água desde o dia anterior à doação;

  • Evite alimentos gordurosos por pelo menos três horas antes de doar;

  • Se preferir doar depois do almoço, aguarde duas horas após ter se alimentado;

  • O almoço deve ser leve, com carnes grelhadas, saladas, arroz e feijão sem carnes.

Cuidados após a doação

  • Permanecer no banco de sangue por pelo menos 15 minutos após a doação;

  • Manter o curativo no braço por pelo menos 4 horas;

  • Evitar ingerir bebidas alcoólicas;

  • Não fumar por pelo menos 2 horas;

  • Evitar esforços físicos exagerados e exercícios por 12 horas, principalmente com o braço utilizado para doação;

  • Beber bastante líquido;

  • Se for dirigir após a doação, parar imediatamente o veículo em caso de mal estar.

Quanto tempo entre as doações

  • A mulher pode doar até três vezes em um período de 12 meses, com intervalo mínimo de 90 dias entre as doações.

  • O homem pode doar até quatro vezes em um período de 12 meses, com intervalo mínimo de 60 dias entre as doações.

Fonte: Correio Braziliense

0 comentário

Comments


Grupo Star superior.png
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page