Mãe confessa que matou filha com socos e chutes por ela ter se tornado sexualmente ativa


Luna Nathielli Bonett Gonçalves, menina de 11 anos que foi morta Timbó, no Vale do Itajaí, na quinta-feira (14) com sinais de violência pelo corpo, foi vítima de politraumatismo, segundo o atestado de óbito. A mãe da criança confessou que matou a filha com socos e chutes como forma de represália.


A menina foi encontrada morta na madrugada de quinta. O casal foi encaminhado para a delegacia, negou o crime e foi liberado em seguida. Na sexta-feira (15), o padrasto e a mãe foram novamente intimados e mulher confessou o crime.


Laudos periciais

De acordo com a laudos médicos e técnicos repassados à Polícia Civil, a menina apresentava diversas lesões pelo corpo, que eram incompatíveis com uma queda de escada. Ela tinha lesões internas no crânio, baço, pulmão, intestino e uma laceração na vagina. O rosto da menina também estava machucado.


A perícia feita na casa onde o crime ocorreu também encontrou marcas de sangue nas proximidades do quarto da criança, sofá, em uma toalha, fronha e em uma calça masculina.


Segundo depoimento, o casal apresentou a versão que a menina havia caído da escada após tentar resgatar um gato. Ela ainda estava consciente após a queda e seguiu o dia normalmente e foi dormir. Horas depois, Luna começou a passar mal e os bombeiros foram chamados.


O padrasto e a mão foram convocados a depor novamente acompanhados de um advogado. Ao serem informados sobre o laudo da morte, o homem ficou em silêncio, já a mãe confessou o crime.


Segundo a Polícia Militar, o homem, de 41 anos, possui passagens policiais por violência doméstica, dano, lesão corporal e pose de drogas.


Fonte: G1



0 comentário