Buscar

“A operação Kraken quebrou paradigmas no combate à lavagem de dinheiro”, diz delegado Gabriel Borges


Delegado comentou sobre a maior operação da história da Polícia Civil no Estado, que aconteceu na última terça-feira (19) e bloqueou mais de R$ 50 milhões de uma organização criminosa. | Imagem: reprodução/ Start News.

Nesta terça-feira (26), o Programa Start News recebeu o delegado da 1ª Delegacia Polícia de Sapucaia do Sul, Gabriel Borges, que comentou sobre a maior operação da história da Polícia Civil no Estado, que aconteceu na última terça-feira (19) e bloqueou mais de R$ 50 milhões de uma organização criminosa.


O delegado Gabriel, apesar de jovem, tem uma extensa carreira na polícia. “Eu tenho dois anos como delegado de polícia aqui no Rio Grande do Sul. Antes disso atuei um ano e meio como inspetor na Polícia Civil, e tenho ainda, 10 anos de Brigada Militar, onde fui soldado e sargento. Também já fui do Exército em Santa Maria como soldado e cabo”, conta o titular da 1ª DP de Sapucaia..


Ele falou sobre como a polícia vem se beneficiando das tecnologias e como elas auxiliam no dia a dia do trabalho investigatigo. “A investigação tecnológica é uma das formas de inovação. Trabalhar com informática, dominar programas, softwares e saber fazer cruzamento de dados é algo que a nova geração de policiais vem aprendendo. Tudo isso acaba facilitando o nosso trabalho”, explica Gabriel.


Apesar de auxiliar o trabalho da polícia, as tecnologias também beneficiam as organizações que utilizam esses meios para se profissionalizar no crime. “As organizações não são apenas aqueles ‘ladrões de esquina'. Esses grupos possuem uma hierarquia com divisões de tarefas, com serviços jurídicos e contábeis. Eles ainda possuem informantes que frequentam ambientes importantes na sociedade e que possuem uma capacidade de logística muito vasta. Por isso que nós, enquanto polícia, devemos avançar no enfrentamento desses grupos, caso contrário não iremos conseguir ter uma efetividade”, afirma o delegado.


Gabriel Borges é um dos responsáveis pela maior operação já realizada no Rio Grande do Sul, que prendeu 58 pessoas e apreendeu mais de R$50 milhões em bens e valores, como carros de luxo, imóveis e aeronaves. “Nós tivemos o apoio do Ministério Público durante todas as fases. Esteve conosco o promotor de justiça Mauro Fonseca Andrade. Foi uma operação integrada. Todos os órgãos participaram. Mas antes da operação efetiva, foi um ano e meio de investigações que nos levaram até esse momento. No resultado final, nós superamos as expectativas no que tange o número de participantes, bens apreendidos e contas bancárias bloqueadas. Tudo isso foi algo que realmente quebrou paradigmas no combate de lavagem de dinheiro”, relata o membro da Polícia Civil.


Essa operação levantou uma pauta muito importante no meio criminalístico: a lavagem de dinheiro. O delegado diz que quer continuar com estas investigações, pois ainda existem muitas organizações nessa área. “Quando temos um bem oriundo de uma infração penal, esse dinheiro é sujo. A organização criminosa então precisa converte esse dinheiro para ter uma aparência legal. Então eles montam empresas de fachada, utilizam laranjas, compram imóveis, carros de luxo. São várias formas que estes criminosos utilizam. Quando nós conseguimos alcançar o patrimônio dessas organizações é quando se realiza a ‘asfixia’ e eles não conseguem se reestruturar de forma rápida. Essa operação que fizemos foi pontual e isso precisa de sequência. Outros órgãos precisam realizar essas investigações. Elas devem ser constantes por toda a polícia judiciária”, explica Gabriel.


O Programa Start News com o delegado da 1ª DP de Sapucaia do Sul, Gabriel Borges, tem reprise nesta terça-feira (26), às 20h, na radiostart.com.br.


Confira a entrevista completa.

Andressa Deuner, da Redação Start


0 comentário
Sem título.png
Caixinha de perguntas Start.png