Aparecida de Goiânia registra 1ª morte pela variante Ômicron no país; Saúde ainda não se manifestou


Um estudo produzido por cientistas da África do Sul apontou que a variante ômicron do coronavírus pode "escapar" de parte da imunidade adquirida por pessoas que já tiveram covid-19. | Imagem: Getty Images.

Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, registrou a 1ª morte pela variante ômicron da Covid-19 no Brasil. A informação foi divulgada pela prefeitura na tarde desta quinta-feira (06). A vítima é um idoso de 68 anos portador de doença pulmonar obstrutiva crônica e hipertensão arterial.


O g1 entrou em contato com as secretarias estaduais de saúde nesta tarde e todas informaram que não tinham o registro de morte por ômicron até o momento.


Após o anúncio da prefeitura, a reportagem entrou em contato com o Ministério da Saúde para confirmar a informação, por meio de e-mail enviado às 15h05, mas não obteve retorno até a última atualização deste texto.


Vítima da Ômicron

De acordo com o município, a vítima estava internada em unidade hospitalar do município. O idoso estava vacinado com três doses, segundo a prefeitura.


Especialistas explicam que a vacinação contra a Covid-19 reduz o risco de mortes pela doença e suas variantes. Os especialistas dizem ainda que os imunizantes disponíveis contra a doença são para evitar o agravamento dos casos, mas que não há garantia de que possam impedir a reinfecção pelo coronavírus.

O idoso começou a ter tosse, dispneia e desconforto respiratório no dia 20 de dezembro de 2022. Dois dias depois, ele deu entrada e foi internado em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. No dia 26 de dezembro ele transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Municipal, mas morreu no dia seguinte após um choque séptico.


A prefeitura solicitou no dia 28 a amostra do RT-PCR do paciente para sequenciamento genético. O resultado positivo saiu nesta quinta-feira.


A prefeitura informou ainda que o paciente era contactante de um caso que a Secretaria Municipal de Saúde já havia confirmado como infecção pela variante.


A confirmação do primeiro óbito ocorre dez dias após a declaração de transmissão comunitária na cidade. Até esta quinta-feira, o município já confirmou 55 casos de ômicron. A prevalência da variante alcançou a casa dos 93,5%.


A detecção foi feita por meio do Programa Municipal de Sequenciamento Genômico, que tem feito a análise de amostras positivas de RT-PCR coletadas no município para mapear a informação genética e identificar as variantes do coronavírus em circulação.


Segundo o último boletim do Ministério da Saúde, divulgado na quarta-feira (05), o país tem 265 casos confirmados de ômicron e há outros 520 em análise.


Fonte: g1



0 comentário