Apoiador usa Hitler como exemplo e Bolsonaro defende mudança na educação de crianças


Jair Bolsonaro falou com apoiadores e negou que houve tentativa de interferência no Enem. | Imagem: Karim Jaafar/ AFP.

Durante uma conversa entre Jair Bolsonaro e simpatizantes, um apoiador do presidente da República usou o regime nazista e Adolf Hitler como exemplos de educação das crianças. Bolsonaro não discordou e defendeu que gostaria de implementar educação “moral e cívica” nas escolas brasileira.


“Presidente, quando a história, né, de Hitler, a gente via muito a questão que ele começou com as crianças. No caso, o senhor acha que o nosso Ministério da Educação já poderia estar também fazendo um trabalho com as crianças para gente voltar, retomar, né, a consciência, a conscientização?”, perguntou um apoiadores do presidente. O momento foi gravado e divulgado em um perfil bolsonarista nas redes sociais.


Bolsonaro, então, responde que é difícil fazer mudanças no Ministério da Educação, mas que gostaria de implementar educação “moral e cívica”. “Você não consegue, é um transatlântico, tem ministério que é um transatlântico. Não dá pra dar um cavalo de pau”, respondeu Bolsonaro.


“Eu gostaria de botar também educação moral e dívida, um montão de coisa, coisas boas. Eu ouvi um outro dia, tive o saco e ouvir uns 10 minutos, duas mulheres – podia ser dois homens também, né – e ela não sabe nada, não sabe o que é poder Executivo. Daí ela fala ‘não existe deputado municipal?’, não sei o que... Essas coisas absurdas. Isso não é essa pessoa apenas, é comum”, disse, fazendo apoiadores rirem.


Na conversa, Bolsonaro também falou sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cuja primeira parte da prova aconteceu neste domingo. O presidente negou interferências e afirmou que a prova teve “questões ideológicas”.


Fonte: Yahoo

0 comentário