Atendimento pediátrico na rede pública de SL dobrou em poucos dias, afirma secretário da Saúde


Diego Pitirini falou sobre a crise pediátrica que a cidade vem enfrentando e também sobre o aumento de casos da dengue. | Imagem: Guilbert Trendt/ Start Comunicação.

Nesta quinta-feira (14), o Programa Start News recebeu o secretário de saúde de São Leopoldo, Diego Pitirini, que falou sobre a crise pediátrica que a cidade vem enfrentando e também sobre o aumento de casos da dengue.


“Nós tivemos um aumento da demanda na rede de urgência e emergência na área de pediatria. Isto se dá por conta da volta às aulas e o ciclo das viroses, entre um se contaminar e transmitir para outro, há uma preocupação muito grande acerca disso. Por exemplo, a UPA da Scharlau atendia cerca de 80 crianças por dia e agora está atendendo 170, o Hospital Centenário atendia 20 e está atendendo 90 crianças. É óbvio que há uma pressão sob o sistema, mas também existem problemas de ordem do modelo de atenção em saúde que São Leopoldo teve ao longo desse período de pandemia. Nós estamos criando um projeto chamado ‘Nova Saúde São Leopoldo’,” conta Diego.


Ainda sobre o assunto de pediatria, o secretário esclarece quantos médicos da área São Leopoldo tem atualmente. “A gente tem 13 pediatras na rede básica, e tem pediatria, agora com plantão de 48h, onde nós vamos ter dois pediatras de forma permanente atendendo. Também estamos organizando um processo de contratação para ter pediatras no Centro de Saúde da Feitoria. Recentemente a prefeitura realizou um concurso onde buscava por novos médicos pediatras, mas não houve nenhuma inscrição. Essa é uma especialidade, que do ponto de vista médico, está em extinção. Poucos profissionais procuram as residências em pediatria,” esclarece.


Diego fala sobre uma modalidade de atendimento que abrange não somente as crianças, mas sim a sua rede familiar como um todo. “São Leopoldo investiu ao longo do tempo muito em alta complexidade, nós somos referência em neurologia, oncologista, mas por exemplo nunca se organizou em procedimentos mais simples que reduzem a gravidade de problemas mais complexos. Nós estamos realizando vários projetos, que terão impacto no médio e longo prazo. Por exemplo o programa “Primeira Infância Melhor” onde vamos acompanhar 600 crianças de zero a três anos, de alta vulnerabilidade social. Agentes vão visitar as residências e ver se estas crianças estão tendo um bom processo de desenvolvimento", diz o secretário.


Outro assunto abordado foi sobre o aumento nos casos confirmados de dengue em São Leopoldo. Atualmente são mais de 350 casos confirmados e mais de 400 casos em investigação. “Em 2016 foi a primeira vez que o sistema de vigilância sanitária identificou no Rio Grande do Sul, que as fêmeas do Aedes Aegypti estavam colocando ovos já contaminados com o vírus. Isso era 1% dos casos onde havia contaminação. Hoje, é perto de 70% das amostras de larvas identificadas. Esse fator aumenta muito a escala de contaminação com a dengue. A gente trabalha com a hipótese de que vai ser um problema sério para a saúde até o início ou meio de junho, que é quando, de fato, o frio se intensifica e a população de mosquitos, reduz”, alerta Pitirini.


O Programa Start News com o secretário de saúde de São Leopoldo, Diego Pitirini, desta quinta-feira (14), tem reprise às 20h na radiostart.com.br.


Confira na íntegra o bate-papo com o secretário.

Andressa Deuner, da Redação Start

0 comentário