top of page
Buscar

Autoridades de São Leopoldo assinam escrituras públicas de doação de órgãos


Imagem: Rodrigo Machado/ PMSL.

Uma iniciativa que tem como objetivo estimular a doação de órgãos foi realizada pela Prefeitura de São Leopoldo. Nesta quinta-feira (17), o prefeito Ary Vanazzi assinou uma escritura pública de doação de órgãos. Pelo documento, o informante dá consentimento expresso de sua intenção de doador após o óbito. A emissão da escritura é gratuita e pode ser realizada por qualquer pessoa que tenha interesse em ser doador de órgãos e tecidos.


A inciativa de autoridades municipais assinarem o documento partiu do procurador-geral do Município, Maicon Barbosa. Um dos objetivos da medida é reduzir a negativa familiar no Brasil, que atinge quase 50% nos casos de morte encefálica.


Atualmente, o país possui uma lista de espera de mais de 50 mil pacientes aguardando por transplante. O termo de cooperação, assinado no final do ano passado, em parceria com os Cartórios de Notas do Rio Grande do Sul para o incentivo da doação de órgãos e tecidos no Estado, possibilitou manifestar intenção de ser doador. A manifestação de vontade por meio de escritura pública funciona como ferramenta de convencimento para a família do doador, uma vez que esses ainda precisam autorizar a doação dos órgãos após o falecimento.


Além do chefe do Executivo Municipal e do procurador-geral, também assinaram a escritura pública: a secretária municipal da Saúde, Andréia Nunes; o secretário-geral de Governo, Nelson Spolaor; o presidente da Fundação Hospital Centenário, Nestor Schwertner; a juíza de direito e diretora do Foro da Comarca de São Leopoldo, Jaqueline Hofler, e o promotor de justiça da Promotoria de Justiça Especializada de São Leopoldo, Ricardo Schinestsck.

Vanazzi salientou que o Brasil tem o maior sistema público de transplantes do mundo e cerca de 90% dos transplantes no país são realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “A doação de órgãos é um ato de solidariedade que proporciona o prolongamento da expectativa de vida de pessoas que precisam de um transplante, permitindo a retomada das atividades normais para pessoas que tiveram problemas graves de saúde. Precisamos reforçar a importância do gesto de doação, com informações capazes de sensibilizar a população em favor deste ato de amor e solidariedade, que é salvar uma vida”, disse.

Para o procurador-geral, Maicon Barbosa, a solenidade se faz necessária pela sensibilidade do tema e tem o objetivo de estimular que haja mais doações. “É mais um instrumento de convencimento dos nossos familiares de que somos doadores de órgãos. Além disso, potencializa a abordagem dos profissionais da saúde quando há o sentimento da dor do luto. Essa pauta vem de uma motivação pessoal quando meu cunhado estava em uma situação delicada de saúde. Sua preocupação era em não acompanhar a evolução de seus familiares e tudo mudou quando ele recebeu o transplante de rim. Agora através deste gesto nobre ele pode seguir na criação de seus filhos e não precisa mais de hemodiálise”, contou.


A titular da Secretaria Municipal da Saúde (Semsad), Andréia Nunes, afirmou que a pauta é muito cara para a administração municipal. “Por determinação do prefeito Vanazzi temos a premissa de trabalhar com integralidade na saúde. Nesse sentido se faz necessário uma campanha para mobilizar e educar a nossa população sobre a importância da doação de órgãos. Em São Leopoldo nos últimos oito anos foram 88 doações. Essa iniciativa pretende ampliar esse número para podermos salvar mais vidas”, disse.


O presidente da Fundação Hospital Centenário, Nestor Schwertner, referendou o trabalho realizado na casa de saúde. “O Centenário realiza anualmente campanhas de estímulo e conscientização sobre a doação de órgãos. Estamos cumprindo nosso papel possibilitando que vidas possam ser salvas. É importante a conscientização de todos nós, entender e efetivamente sensibilizar as pessoas sobre a doação de órgãos. Mais de 40% das mortes encefálicas não evoluem para doação. Há pessoas que morrem na fila. Por isso, é fundamental se declarar doador e informar a família do desejo”, comentou.


Também estiveram presentes na solenidade o ouvidor-geral do Município, Daniel Passaglia; a secretária municipal de Direitos Humanos, Nadir de Jesus; a tabeliã, Jeniffer Castellan Oliveira, e a primeira substituta da tabeliã, Clarissa Carello, entre outros integrantes do governo municipal e autoridades locais.


Fonte: PMSL

0 comentário
WhatsApp Image 2024-02-26 at 16.17.18.jpeg
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page