Bailarina leopoldense de 10 anos precisa arrecadar R$10 mil para participar de formação profissional


Imagem: Janira Tarquini.

O sonho de viver da arte acompanha Sofia Stahl, 10 anos, desde muito cedo. Natural de São Leopoldo, a bailarina se encantou pela dança quando tinha apenas dois anos. O desejo de se aprimorar e a dedicação que teve aos treinos garantiu uma bolsa de estudos em Portugal, local onde mora hoje com a mãe, Valéria Stahl, 38 anos.


Há um ano, elas se mudaram para o país europeu. Mas as conquistas continuam. Mais recentemente, Sofia foi selecionada para participar de um curso de verão da Ópera Nacional de Paris, uma das companhias mais prestigiadas do mundo, que ocorrerá entre 4 e 9 de julho. Porém, para participar, ela precisa de ajuda financeira.


O primeiro contato que teve com a dança foi por meio de um projeto realizado pela escolinha em que estudava, em sua cidade natal. Apesar de ter as aulas no local, com dois anos já dizia repetidas vezes para sua mãe, que “precisava fazer mais balé”. Assim, aos quatro anos, ela ingressou em sua primeira escola de dança e, aos sete, já em uma nova companhia, passou a participar de festivais. Nessa fase, devido às competições, os treinos de Sofia se intensificaram. E, com isso, naturalmente seu desempenho aumentou, o que chamou a atenção de sua professora. A instrutora, à época, comentou com Valéria sobre a possibilidade de Sofia estudar em escolas internacionais.


Mudança

A mãe da menina explica que, quando soube que ir para outro país seria uma opção, passou a pesquisar instituições estrangeiras. Foi quando chegou no Conservatório Pallco, localizado na cidade do Porto, em Portugal. Valéria conversou com a filha e, em conjunto, decidiram se inscrever. A guria foi selecionada com bolsa de estudos. A alegria de ver os sonhos da filha se tornarem realidade fez com que a mãe não pensasse duas vezes. Assim que o resultado da seleção foi divulgado, no final de 2019, já começaram os preparativos para a viagem. Valéria era concursada. Trabalhou durante 10 anos em um banco. Mas deixar para trás a estabilidade financeira não foi um empecilho. "As pessoas me questionavam se eu iria abrir mão do banco ou abrir mão da minha filha, deixando ela ir sozinha. Para mim, não foi uma escolha tão difícil. Eu não queria ficar agarrada a um salário, queria acompanhar a Sofia, ser mãe dela", fala Valeria, ao contar que precisou fazer brechós e vender doces para juntar o valor para mantê-las no novo país. A ida para Portugal ocorreu em 31 de dezembro de 2019. No dia 4 de janeiro do ano seguinte, Sofia começou as aulas, mas Valéria precisou voltar para o Brasil. Durante seis meses, a bailarina morou na casa de uma família indicada pelo conservatório, enquanto a mãe vendia os bens que possuía em seu país de origem. Já faz um ano que elas estão em Porto, e, hoje, Valéria conseguiu um emprego na cidade.


“Foi um sonho realizado”

Estudar na Ópera de Paris é um sonho de Sofia. O processo de seleção para o curso de verão da instituição previa enviar a gravação de uma sequência de passos. A ideia dela era gravar a coreografia em uma das salas do conservatório, mas, na semana marcada para a filmagem, Sofia teve covid-19. Então, foi necessário gravar em um cômodo da própria casa, um local sem boa iluminação. Além disso, devido ao vírus, a menina estava se sentindo franca. Com isso, mãe e filha não esperavam uma resposta positiva. Mas, em 14 de março, chegou o resultado. "Ter sido aceita foi um sonho realizado. Fiquei muito orgulhosa de mim mesma, porque concorri com 800 candidatos do mundo inteiro, com pessoas que devem ser muito boas. Fiquei muito surpresa", comenta Sofia. Este será um curso de verão, mas ela já fala que, quando for maior, tentará concorrer a uma vaga definitiva na Ópera.


Apoie


Para participar da formação, mãe e filha precisam arrecadar R$ 10 mil. O valor será utilizado para pagar o curso, além de arcar com as despesas de viagem e alimentação. Valéria criou uma vaquinha para pedir ajuda. Para apoiar, clique aqui.


Fonte: GZH

0 comentário