Bebê prematuro vence a Covid-19 e recebe alta hospitalar em Porto Alegre


Hellena venceu a Covid-19 e uma bronquiolite viral. | Imagem: Ocimar Pereira/ GHC.

Internada desde o início do ano no Hospital Criança Conceição (HCC), na Capital, a pequena Hellena da Silva Smaniotto, de dez meses, recebeu alta nesta quinta-feira ao meio-dia após vencer a Covid-19 e uma bronquiolite viral.


A menina, que nasceu prematura no HCC no dia 13 de janeiro, com apenas 28 semanas e 1,08 quilo, passou a maior parte da vida entre a UTI e a enfermaria da instituição. Recuperada, ela retornou para Rolante, na região do Vale do Paranhana, e dormiu pela primeira vez em casa na companhia dos pais, a comerciária Aline Oldolf da Silva, de 24, e o barbeiro Natan Michael Smaniotto, de 30.


A história de superação da família começou após o parto de Hellena e da irmã gêmea Victória. As duas precisaram ficar internadas por conta do nascimento precoce. Com dois meses de vida, Victória teve alta hospitalar, enquanto Hellena, por necessidade de oxigênio, ficou no hospital.


Aline afirma que Hellena estava prestes a deixar o hospital, no final de março, quando contraiu Covid-19. "A maninha foi para casa, e quando a Hellena estava quase indo para casa, pegou Covid-19. Foi bem difícil porque a gente mora longe. Quando eu ia ao hospital tinha que deixar os irmãos (Victor Hugo, 2, e Victória) dela em casa. E eu não conseguia vir todos os dias, foi bem difícil", relata.


Com diagnóstico confirmado para a Covid-19, Hellena ficou internada na UTI por 28 dias, onde chegou a ser entubada. "Estávamos em casa quando recebemos a notícia, era quase meia-noite, quando ligaram avisando que já tinham intubado ela. A gente veio para Porto Alegre e quando vimos ela daquele jeito, ficamos sem chão, sem ter o que falar. Foi muito difícil", recorda.


Em 27 de abril, recuperada, a pequena foi transferida para a enfermaria. E menos de uma semana depois, o estado de saúde piorou e ela precisou ser internada novamente na UTI. "A Hellena desenvolveu bronquiolite viral e foi intubada de novo. Foram muitos dias sem tocar nela, só olhar de longe", afirma.


Encontro


Emocionada por poder abraçar a filha, Aline contava as horas para chegar em casa e promover o encontro da pequena com os irmãos e o restante da família. "Vai ser a primeira noite em casa. A gente esperou tanto esse momento. Vai ser o primeiro dia que vamos poder unir as maninhas de novo", destaca. O irmão mais velho, Victor Hugo, não escondia a ansiedade por encontrar a irmã após dez meses. "Ele está ansioso pelo retorno da irmã. Ele via as fotos e pedia para buscar a mana e falava 'busca, mãe, busca", lembra. "É um sentimento de alívio, de superação por tudo que ela passou e venceu", completa.


O médico intensivista pediátrico do HCC Luiz Braun Filho afirma que após o diagnóstico confirmado para a Covid-19, Hellena desenvolveu quadro grave da doença. "Quando ela ia receber alta hospitalar, contraiu Covid-19 em março. Começou com quadro grave e precisou de ventilação mecânica. Acabou estabilizando e, no final de abril, saiu do respirador", destaca.


Depois de contrair o vírus sincicial respiratório (VSR), que resultou em bronquiolite, Hellena ficou com lesão pulmonar extensa e passou ainda por uma traqueostomia. "É um caso único, porque além de problema respiratório em função da prematuridade, ela teve infecção por Covid e depois por outro vírus. É um dos mais raros em pediatria", afirma. "Apesar de tudo isso, ela apresenta desenvolvimento neurológico adequado para idade dela", salienta.


Fonte: Correio do Povo

0 comentário