top of page
Buscar

BM volta a sítio em Gravataí e é novamente recebida com tiros; quatro suspeitos são presos


Imagem: divulgação/ Brigada Militar.

Depois de um confronto nesta quarta-feira (10) em que criminoso foi morto em um sítio de Morungava, em Gravataí, policiais voltaram ao mesmo local nesta quinta-feira (11) e prendem mais quatro pessoas, após nova troca de tiros. Foram encontradas armas enterradas na propriedade rural, além de munição, drogas e material para fabricar explosivos.


De acordo com a polícia, o local era usado como depósito de armas e drogas. O suspeito de ser responsável pelo espaço é Adalberto Arruda Hoff, de 43 anos, o "Beto Fanho". Integrante de facção criminosa, ele teria envolvimento com ao menos sete homicídios e era conhecido, de acordo com as autoridades, por andar armado e com seguranças. O homem ainda é apontado como comandante do tráfico de drogas na Zona Norte de Porto Alegre.


Beto Fanho foi morto pela polícia em confronto, na mesma propriedade em Gravataí, na quarta-feira. Ele era monitorado por tornozeleira eletrônica. Nesta ação de quarta, a 2ª Delegacia do Departamento de Investigações do Narcotráfico (Denarc), o 17º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Gravataí e o 20º BPM da Capital apreenderam diversos armamentos, como pistola, fuzil e espingarda, além de granadas, coletes balísticos, radiocomunicadores e dinheiro. Nessa quinta, o 17º BPM recebeu uma nova denúncia envolvendo o mesmo local.


Novo confronto e armas enterradas


De acordo com o comandante da BM de Gravataí, tenente-coronel Clodemilton Bueno, um efetivo de 16 PMs em seis viaturas foi ao sítio em Morungava nesta quinta. Segundo ele, ao chegarem ao local, os policiais foram recebidos a tiros por dois homens.


"Assim como ontem (quarta-feira), houve novo tiroteio. Nós demos voz de prisão e eles revidaram, mas desta vez não houve morte, tampouco feridos. A dupla se rendeu e entregou as armas", diz Bueno.


De acordo com o oficial, os suspeitos foram flagrados desenterrando armas nos fundos da residência. Foram encontrados sacos plásticos dentro de um buraco no chão, com armas, incluindo pistolas e espingardas, além de carregadores e munição. No total, entre as que estavam enterradas e as portadas por suspeitos, foram apreendidas 16 armas. Contando a operação realizada na tarde de quarta-feira, o total de armamento apreendido chega a 22.


O 17º BPM também encontrou 4,5 kg de pasta-base de cocaína e um quilo de crack enterrados no local, além de massas para emulsão e demais produtos para fabricar explosivos. Bueno diz que a área foi isolada e o Batalhão de Operações Especiais (Bope) teve de ser acionado para retirar estes produtos, devido ao risco.


Enquanto uma equipe ficou no local onde os dois primeiros suspeitos foram presos e as armas foram desenterradas, outra foi a um sítio vizinho. Nesta outra propriedade, mais dois homens, que chegavam ao local em um carro, foram detidos. Eles estavam armados e são suspeitos de integrar a mesma organização criminosa.


Os presos em flagrante não tiveram os nomes divulgados. Juntamente com as apreensões, eles foram encaminhados ao Denarc. Um inquérito é conduzido pelo titular da 2ª Delegacia do Denarc, delegado Rafael Liedtke.


Fonte: GZH


0 comentário

Comments


labelladonnasaoleopoldo.png
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page