Cézar Schirmer e promotor de Justiça podem ser convocados como testemunhas no caso Kiss


Segundo a defesa de um dos réus, desde o inquérito é defendido que os agentes públicos também deveriam ser réus no processo. | Imagem: Clara Angeleas.

A defesa de Elissandro Sphor, réu no caso Kiss, protocolou, nesta quarta-feira, o pedido de substituição de testemunha à 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Porto Alegre.


De acordo com o advogado Jader Marques, o pedido de dispensa formulado pela perita e o fato de uma das testemunhas também ter sido arrolada por um corréu, proporcionou que estes dois personagens fundamentais ao entendimento dos fatos, o ex-prefeito Cézar Schirmer, atual secretário municipal de Planejamento e Assuntos Estratégicos de Porto Alegre, e o promotor de Justiça Ricardo Lozza, venham ao plenário dar suas explicações.


Segundo Marques, desde o inquérito é defendido que os agentes públicos também deveriam ser réus no processo. “Já que eu não consegui trazê-los como réus, que venham dar suas explicações à sociedade como testemunha. Esse processo não pode ser um marco da impunidade do poder público”, ressalta o criminalista. O advogado acredita que o juiz irá deferir o pedido na mesma linha do que tem feito com as demais partes.


Fonte: Correio do Povo

0 comentário