Casal acusa jovem negro de roubar bicicleta no Leblon, bairro nobre do Rio de Janeiro


Matheus conseguiu registrar o ocorrido

O professor de surfe Matheus Nunes Ribeiro, de 22 anos, que é negro, registrou um boletim de ocorrência online na polícia na última segunda-feira (14).


Ele disse que foi acusado de roubar uma bicicleta por um casal de jovens no Leblon, Zona Sul do Rio, no último sábado (12).


Matheus contou que estava esperando pela namorada na frente do Shopping Leblon, na Avenida Afrânio de Melo Franco. De repente, um casal de jovens se aproximou dele e a menina perguntou:


"Você pegou essa bike, não foi? Essa bike é minha".


Ele negou e disse que mostrou fotos antigas dele com a mesma bicicleta. O professor de surfe postou um vídeo (veja acima) nas redes sociais, que teria sido feito depois de uma primeira discussão com o casal.


O vídeo mostra Matheus e o namorado da jovem próximos um do outro, com este último segurando o cadeado da bicicleta da namorada.


"É que acabou de roubar a bicicleta dela, é igualzinha, desculpa", disse o rapaz, aparentemente tentando justificar a abordagem.


A partir daí, eles iniciam um diálogo.


"Você conseguiu? Você conseguiu?", perguntou o professor, sobre a tentativa de encaixar o cadeado na bicicleta dele.


"Não", afirmou o jovem que estava com a menina que dizia que teve a bike furtada.


"O que vocês acabaram de falar e o que eu respondi?", questionou Matheus.


"Eu não te acusei, só estou te perguntando", disse o jovem, interrompido pelo professor que, revoltado, no vídeo, exige que o casal se retire.


Matheus contou que essa não foi a primeira vez que sofreu uma abordagem deste tipo.


"Essa foi a única vez que consegui gravar, mas também foi a mais constrangedora", disse ele ao site G1.


O professor disse que não ia denunciar, mas explicou porque mudou de ideia "o vídeo repercutiu muito, e eles podem acabar me denunciando pela imagem se eu não fizer B.O."


"A repercussão disso me dá um sinal de esperança que vamos mudar. Isso é estrutural. Eles não são as piores pessoas do mundo. Eles vivem em um mundo ruim e todos podemos mudar isso", disse. A polícia ainda não se manifestou sobre o caso.


Fonte: G1

0 comentário