top of page
Buscar

Com R$ 231 milhões de prejuízo, Muçum apresenta plano para tentar se reerguer


Imagem: Maurício Tonetto; Governo do RS.

A prefeitura de Muçum, uma das cidades mais atingidas pelas enchentes causadas pela passagem de um ciclone extratropical pelo Rio Grande do Sul, apresentou, durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira (25), um plano para tentar se reerguer.


A prefeitura estima que houve um prejuízo na casa dos R$ 231 milhões devido ao desastre natural. Dezesseis pessoas morreram e quase metade dos imóveis ficaram inabitáveis.


Intitulado de "Recupera Muçum – Olhando Sempre Para Frente", o movimento tem três frentes: social, econômica e infraestrutura. A ideia é captar recursos humanos, materiais e financeiros para execução de projetos e atividades que não serão custeadas pelos poderes públicos federal e estadual. Também prevê um planejamento urbanístico e estratégico para expansão e crescimento da cidade. Confira:


Residências provisórias

O município busca áreas para construção de residências provisórias. O governo do estado deve fazer a desapropriação.


O local e a quantidade de casas ainda não estão definidos. Posteriormente, com a remoção das famílias para moradias definitivas, o terreno poderá ser usado para a construção de residências do Minha Casa, Minha Vida.


Quando começar, a reconstrução de casas destruídas pela enchente deve levar de 12 a 15 meses. Elas devem ser erguidas em uma área do Loteamento Jardim Cidade Alta II.

Parque Industrial

O município planeja ainda a construção de um Parque Industrial, em até 2 anos e 6 meses, com capacidade para comportar empresas.


O plano prevê a desapropriação de áreas através de mediação do governo do estado. O local não está definido.


Expansão urbanística

A prefeitura planeja a expansão urbanística da cidade para áreas mais altas.


O que o município ainda precisa?

Muçum precisa de itens para reconstrução de casas e pavilhões, por exemplo. Veja:


Para reforma de residências em condições de moradia

  • Materiais de construção: cimento, tijolos, estruturas metálicas, madeiras diversas, aberturas, forros e tintas;

  • Para construção e/ou reconstrução de pavilhões de pequeno porte: voluntários de engenharia para elaboração de projetos; tijolos e blocos de concreto; estruturas metálicas; brita; areia; mão de obra; e maquinários para terraplanagem.

Reestruturação/construção de espaços públicos

Alguns projetos de reformas de escolas e espaços públicos estão em andamento. São eles:

  • Escola Castelo Branco: via Recursos FNDE/S2ID/Parceiros;

  • Ginásio de Esportes: reforma via recursos governos do Estado/Federal;

  • Casa de Cultura: recursos via ação de restabelecimento do S2ID/Defesa Civil;

  • EMEI Família Feliz: reforma adotada por instituição voluntária;

  • Reforma e melhorias na Praça do Bairro São José: reforma adotada por instituição voluntária.

Necessidades para o restabelecimento urbanístico/paisagístico da cidade

  • Postes e canteiros;

  • Passeios públicos;

  • Replantio de flores, graminhas e mudas de árvores;

  • Melhorias nos trevos e interseções.

Contatos para doações

Coordenação da Defesa Civil de Muçum, com Rodolfo Pavi, pelo celular: (51) 9 9556-5308 (recebe mensagens via WhatsApp).

Prejuízos estimados com as enchentes

  • R$ 28 milhões de prejuízos em estruturas/espaços públicos;

  • R$ 84 milhões em prejuízos residenciais;

  • R$ 89 milhões de prejuízos no setor econômico - Empresas/Comércio;

  • R$ 11 milhões de prejuízos totais no Setor Primário (Produção, estruturas, maquinários, serviços);

  • R$ 19 milhões – Prejuízos totais do temporal de granizo em 23/08/2023;

  • Total: R$ 231 milhões.

Recursos já garantidos

O município recebeu até agora R$ 2.858.077,51 milhões para assistência humanitária em decorrência da enchente e o temporal de granizo, que atingiu Muçum no dia 23 agosto.


  • Ações de Resposta Humanitária: R$ 1.076.160 via S2ID/Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional;

  • Cestas básicas para atingidos pelo temporal de granizo: R$ 46.782 via S2ID/Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional;

  • Recurso para limpeza urbana: R$ 217.815,20 via S2ID/Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional;

  • Restabelecimento de telhados: temporal de granizo (total) – R$ 705.320,31 via S2ID/Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional;

  • Atendimentos de Assistência Social: R$ 312 mil via Secretaria Nacional de Assistência Social;

  • Custeio Saúde Municipal: R$ 350 mil via Secretaria Estadual da Saúde;

  • Custeio Hospital: R$ 150 mil via Secretaria Estadual da Saúde.


Fonte: g1

0 comentário
banner superior START CARNAVAL 2024.png
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page