Comitê do Bicentenário de São Leopoldo é instituído e tomam posse seus componentes


São Leopoldo prepara uma grande celebração para os 200 anos da chegada dos imigrantes alemães e para o aniversário da cidade construída. | Imagem: Thales Ferreira/PMSL.

São Leopoldo prepara uma grande celebração para os 200 anos da chegada dos imigrantes alemães e para o aniversário da cidade construída, a partir do esforço conjunto com outros povos que aqui já estavam. Para liderar o trabalho, foi instituído o Comitê do Bicentenário de São Leopoldo. O decreto de criação e a portaria de nomeação dos integrantes foram assinados pelo prefeito, Ary Vanazzi, nesta quarta-feira, 27 de outubro.


O evento foi realizado no Teatro Municipal com a participação dos representantes das entidades, instituições, associações, sindicatos, conselhos e do governo municipal.


Compuseram a mesa de autoridades da cerimônia, juntamente com o prefeito, o adido cultural, César Oliveira (Governo do Estado e a Casa Civil), David Schuh (Vale Germânico); padre Luiz Fernando Medeiros (Sociedade civil), Isabel Arend (Comissão Histórica); Ana Affonso (Câmara de Vereadores); e os secretários municipais Nelson Spolaor (Geral de Governo) e Pedro Vasconcellos (Cultura e Relações Internacionais).


O prefeito Ary Vanazzi destacou que a celebração do Bicentenário de São Leopoldo não se restringe a uma festa. Ele contou que o debate teve início em 2018. “Vamos organizar uma festa bonita para todas as pessoas e vamos realizar ações e projetos que vão refletir em toda a comunidade, para quem mais precisa”, afirmou. Vanazzi ressaltou a pluralidade que foi construída na composição do comitê com o intuito de tornar São Leopoldo uma referência.


“Conseguimos ineditamente reunir os segmentos político, econômico, social, artístico e religioso. Pela dificuldade do momento que vivemos estamos buscando reconstruir a relação social fraterna de cidadãos para reconstruir um processo que nos dê um pouco de tranquilidade para construir, para trabalhar, para sonhar”, destacou.


Para o prefeito, o processo de integração histórica e cultural é o grande desafio destes 200 anos.


Ao todo, 90 representantes da sociedade civil e da administração municipal vão compor o Comitê com um titular e um suplente. A atuação está baseada em três eixos. O primeiro trata das “Ações estruturantes de São Leopoldo Rumo aos 200 anos” com o objetivo de melhorar os indicadores econômicos e sociais, contemplar políticas públicas, obras e ações estruturantes; O segundo, “São Leopoldo como Berço da Imigração Alemã no Rio Grande do Sul e no Brasil”, visa promover articulações locais, nacionais e internacionais com vistas a projetar o município e o Vale dos Sinos como sede de iniciativas e intercâmbios; e o terceiro é o eixo de História e Cultura: que reunirá as iniciativas na área da cultura, da memória e do conhecimento e os eventos comemorativos do Bicentenário.


Em parceria com Universidades, instituições culturais e internacionais, promoverá publicações, pesquisas e eventos alusivos aos 200 anos da imigração alemã no Brasil.


A apresentação das diretrizes do Comitê foi feita pelo secretário Nelson Spolaor. “Vamos trabalhar muito nestes mil dias que antecedem o Bicentenário para alcançar nossos propósitos de promover uma cidade moderna, solidária e plural”, destacou.


O trabalho se dará por áreas temáticas sendo organizado por comissões específicas, como de Desenvolvimento Econômico, Histórica, Desenvolvimento Social, Promoção da Cidade, Eventos e Comemorações, entre outras. Também está prevista a Comissão Executiva paritária entre poder público e sociedade civil. Segundo Spolaor, a participação no comitê pode ser ampliada para ter mais representatividade.


Os representantes dos diferentes segmentos e do governo do município e do Estado, que compuseram a mesa, fizeram suas considerações


César Oliveira destacou a pluralidade que está representada no Comitê, dando conta das diferentes etnias que contribuem para a construção da identidade do povo gaúcho. “Independente da cor do lenço no pescoço, de sigla partidária, estamos aqui vivendo cultura. Quando é para preservar a gente começa pela origem e é o que estamos fazendo”, frisou.


O coordenador do Vale Germânico-braço turístico da Associação dos Municípios do Vale do Rio do Sinos (Amvars), David Schuh, ressaltou a importância do trabalho conjunto para preparação do Bicentenário. “O Vale Germânico completa dois anos na próxima segunda-feira com valores de cultura, sociedade e desenvolvimento econômico, buscando uma identidade de produto turístico para a região e também como destino turístico para o Estado e para o Brasil. Ele destacou a criação da Rota Cervejeira e convidou a todos para prestigiarem.


Isabel Arend falou sobre as ações que estão sendo planejadas pela Comissão Histórica, que vem se reunindo previamente. Ela também falou em nome do Instituto Histórico, que é uma instituição há 45 anos presente na cidade que poderá contribuir com a preparação do Bicentenário.


O padre Luiz Fernando Medeiros também fez sua saudação pela iniciativa que vem ao encontro dos valores da Universidade que está na “busca incessante de uma sociedade livre social, ambientalmente justa e igualitariamente próspera”.


A presidente da Câmara de Vereadores, vereadora Ana Affonso (PT), e o secretário Pedro Vasconcellos também fizeram suas saudações.


Fonte: PMSL

0 comentário
Sem título.png
Caixinha de perguntas Start.png