Buscar

Consumidores gaúchos devem se preparar para forte aumento no preço do leite e derivados


A ampliação do preço do diesel e dos insumos usados para a alimentação dos animais, a questão tributária, a estiagem e o período de entressafra estão entre os fatores que influenciam diretamente no aumento do leite e seus derivados. Os impactos já começam a ser percebidos nas gôndolas dos supermercados. No Vale do Taquari, as cooperativas Languiru, de Teutônia e Dália Alimentos, de Encantado, que atuam na cadeia leiteira, também são atingidas por estes fatores.


“A captação de leite no campo começou a sentir os efeitos especialmente no último trimestre de 2021, quando o concentrado (ração) alcançou níveis muito altos e a relação do valor recebido pelo litro de leite e pago pelo quilo de ração se inverteu, desestimulando o produtor a investir na alimentação”, destaca o presidente da Cooperativa Languiru, Dirceu Bayer.


Bayer ainda acrescenta que por causa da estiagem, a colheita de silagem foi insuficiente em termos de quantidade e qualidade. Além disso, nos últimos meses, o alto custo do óleo diesel, fertilizantes e defensivos, pressionou ainda mais o custo do produto final e desestimulou a oferta do campo. Outros fatores levantados pelo presidente são o mercado internacional e o período de entressafra.


“A oferta internacional de leite também se mantém tímida ultimamente, o que sinaliza pouca oferta, inclusive no mercado internacional. O momento é da entressafra, fato este que contribui para a pouca entrada de leite nas indústrias. Este primeiro trimestre do ano registra cerca de 10,3% a menos de entrada de leite nas indústrias. Com a cotação do dólar nos níveis atuais, não estão ocorrendo grandes negociações nas importações para que ocorra a entrada de leite, impreterivelmente o mercado necessita mudar e o espaçamento de tempo para esta entrada de leite leva meses. Estes aumentos estão sendo registrados não só no leite UHT, mas sim em toda cadeia do leite e seus derivados”, complementa o presidente da Cooperativa Languiru.


O supervisor comercial Elton Lima, da Dália Alimentos, relata que a cooperativa é impactada pelo aumento nos custos de insumos, combustível, embalagens e energia. Além disso, o mercado é regido pela oferta e procura do produto. “Lei da oferta e demanda, como o leite UHT, faz parte da linha de comodities, o preço também é regulado pelo mercado com base na disponibilidade e no consumo. É importante ressaltar que, em alguns meses do ano, as empresas têm a necessidade de vender o leite com preços bem abaixo do valor de custo de produção, porque a demanda está baixa e os estoques estão altos”, relata.


Fonte: independente.com.br/ Texto: Elisangela Favaretto

0 comentário
Sem título.png
Caixinha de perguntas Start.png