Contra o STF, caminhoneiros Bolsonaristas declaram greve e bloqueiam estradas em todo o Brasil


Circula nas redes sociais no início da noite desta quarta-feira (8) um vídeo de um homem que se apresenta como Erick Carvalho, "representante do advogado do Zé Trovão, doutor Levi de Andrade", e que anuncia o início de uma greve dos caminhoneiros em apoio a Jair Bolsonaro e principalmente contra o Supremo Tribunal Federal (STF).


"É oficial, eu já tenho o recado dos caminhoneiros: haverá uma nova paralisação. Haverá uma nova greve. Nós tentamos de todas as maneiras possíveis resolver pacificamente, amistosamente, mas eles não querem acordo", diz o homem, que relata ter sido impedido de protocolar no Senado Federal um pedido de impeachment contra ministros do STF.

"Estão conosco os representantes do agronegócio", diz ainda Carvalho.


Ao longo desta quarta-feira foram registradas diversas paralisações de caminhoneiros em oito estados. No início da tarde, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) anunciou que já havia desmobilizado 56 bloqueios montados por manifestantes bolsonaristas.


Um detalhado informe do setor de inteligência da Polícia Rodoviária Federal para o Palácio do Planalto ao qual a Coluna teve acesso revelou que, até esta noite, são 173 os pontos de concentração de caminhoneiros em estradas federais do Brasil, e 53 bloqueios nas rodovias.

A manifestação pró-presidente Jair Bolsonaro prometida ocorreu em movimento nacional, com menor ou maior prejuízo de tempo para quem se deparou com os grupos. A situação pode piorar e chegar aos postos de gasolina das principais capitais: de acordo com o relatório, os ‘tanqueiros’ de combustíveis de Minas Gerais aderiram à paralisação de 24 horas. Os sindicatos dos tanqueiros de São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás e Espírito Santo estão em estado de greve.

Em relação aos protestos e bloqueios nas rodovias Brasil adentro, em muitos casos são motoristas associados a grandes transportadoras, sindicatos patronais aliados do presidente, que bancam o óleo e a diária aos motoristas. De acordo com os informes, a tensão paira sobre os Estados do Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas, Paraná e Santa Catarina. Mais de 400 motoristas estão em faixa de acostamento na estrada que liga o Distrito Federal a Luziânia (GO).

Ainda segundo o relatório, veículos de passeios não são retidos. Mas caminhoneiros são barrados, e os que insistem em passar sofrem pressão ou até danos materiais.

Na região Sul são registrados 94 protestos e 28 bloqueios; Na Sudeste são 29 e 9; No Centro-Oeste, 29 e 10, respectivamente. E existiam até a noite passada pontos de bloqueios na Bahia, Maranhão, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso e ES.


Fonte: Revista ISTOÉ e Portal BRASIL247

0 comentário