Contratos sem licitação revelam indícios de fraude durante a gestão de Pazuello no Ministério


O Ministério da Saúde, sob a gestão do general Eduardo Pazuello, pode ter se envolvido em fraudes de contratos no Rio de Janeiro, segundo aponta reportagem exibida pelo Jornal Nacional nesta terça-feira, 18 de maio.


De acordo com as informações do jornal, militares teriam escolhido empresas e usado a pandemia de covid-19 como justificativa para considerar urgentes as obras, sem licitação, em prédios antigos.


As contratações sem processo licitatório somam cerca de R$ 30 milhões e foram aprovadas por gestores nomeados por Pazuello, incluindo o coronel da reserva, George Divério, que ocupava o maior cargo da Superintendência Estadual do Ministério da Saúde no Rio.


Redação do www.startcomunicacaosl.com.br

0 comentário