Criança tem cirurgia adiada porque pais não aceitam transfusão com sangue de doadores vacinados


Responsáveis buscam pessoas não-imunizadas para doação, mas médicos defendem importância da vacina | Imagem: Reprodução

A família de uma criança em Bolonha, na Itália, não aceita que ela receba uma transfusão de sangue de doadores vacinados contra a covid-19 para a realização de cirurgia cardíaca. As informações do jornal Gazzeta di Modena nesta segunda-feira (7) revelam que o procedimento é urgente e a Justiça deve anunciar em breve o que será decidido.


Segundo o jornal italiano, a questão foi parar nos tribunais porque os pais pretendem criar uma campanha para pedir que apenas não-vacinados se apresentem para doar sangue para o menino. Entretanto, os médicos do hospital dizem que a cirurgia deve ser realizada imediatamente e que não é seguro realizá-la sem a imunização da vacina contra o coronavírus.


Os profissionais de saúde afirmam ainda que os critérios para a doação de sangue seguem protocolos rígidos para garantir a integridade e segurança do paciente. A família da criança buscou postulantes à transfusão em grupos de não-vacinados no Telegram e teria encontrado cerca de 40 voluntários, segundo eles próprios.


Eles querem utilizar essa lista de pessoas para evidenciar que há possibilidade de realizar a cirurgia sem que o voluntário esteja imunizado. Entretanto, a compatibilidade sanguínea é a principal necessidade para a realização da transfusão e, se for concedido pela Justiça que um não-vacinado poderá doar o sangue, é preciso que, entre essas pessoas, alguém seja compatível ao do pequeno.


Para os médicos, um doador que contraiu covid-19 e tenha anticorpos em seu corpo ainda não é considerado "mais seguro" que um doador que realizou a vacinação, como argumentariam os familiares da criança. A identidade da família e a idade do menino não foram divulgados.


Fonte: GZH

0 comentário