Declaração de óbito da mãe de Luciano Hang foi fraudada na Prevent Senior


Um dossiê elaborado por 15 médicos que afirmam ter trabalhado na Prevent Senior, e que foi entregue à CPI da Covid, revela que a declaração de óbito da mãe do empresário Luciano Hang, Regina Hang, “foi fraudada”.

De acordo com os médicos, a suposta fraude no óbito de Regina Hang “é um dos inúmeros casos que não foram devidamente noticiados”. Segundo o dossiê, a mãe do empresário foi internada no dia 31 de dezembro e morreu em 3 de fevereiro.

No prontuário, segundo os médicos, havia informação sobre o início de sintomas da Covid, em 23 de dezembro e, posteriormente, a adoção do tratamento precoce com hidroxicloroquina, azitromicina e colchicina antes da entrada na Prevent Senior. Os médicos afirmam que ela teria recebido ivermectina e tratamentos experimentais. Porém, em vídeo divulgado nas redes, Luciano Hang afirma que até a sua mãe ser diagnosticada com COvid-19, nunca tinha dado “medicamento de prevenção” para ela.

“Eu me questiono: será que se eu tivesse feito o tratamento preventivo, eu não teria salvado a minha mãe?”, questiona Luciano Hang.

Porém, os médicos que elaboraram o dossiê afirmam que o depoimento de Luciano Hang é mentiroso e que a “sra. Regina Hang utilizou o kit antes de ser internada e que repetiu o tratamento durante a internação, assim como registram que seu filho, sr Luciano HAng, tinha ciência dos fatos”.

À Fórum, a Prevent Senior encaminhou nota onde afirma que sempre atuou “dentro dos parâmetros legais”.


Fonte: Portal Forum



0 comentário