"Defender nazismo não é liberdade de expressão", diz embaixada alemã


Autoridades da Alemanha no Brasil se pronunciaram após o youtuber Monark defender a existência de um | Imagem: Reprodução

As representações oficiais da Alemanha no Brasil repudiaram as declarações do youtuber Bruno Aiub, o Monark, que defendeu a existência de um partido nazista no Brasil. O posicionamento do influenciador aconteceu durante a gravação do podcast Flow, gravado na segunda-feira (7).


"Defender o nazismo não é liberdade de expressão. Quem defende o nazismo desrespeita a memória das vítimas e dos sobreviventes desse regime e ignora os horrores causados por ele", disse o perfil da embaixada e dos consulados alemães no Twitter.


No episódio em questão, Monark defendeu a possibilidade da formação de um partido nazista no Brasil durante uma discussão sobre liberdade de expressão com os deputados federais Kim Kataguiri (DEM-SP) e Tabata Amaral (PSB-SP).


"A esquerda radical tem muito mais espaço que a direita radical, na minha opinião. As duas tinham que ter espaço, na minha opinião. [...] Eu acho que o nazista tinha que ter o partido nazista reconhecido pela lei", disse durante a entrevista. Ele pediu desculpas após o comentário e foi desligado do programa.


Após as declarações, o MPSP (Ministério Público de São Paulo) abriu um inquérito civil contra o influenciador. No ofício, os promotores Anna Trotta Yaryd e Reynaldo Mapelli Júnior consideram o conteúdo da fala inquestionavelmente "nazista e antissemita" e rechaçam a liberdade de expressão que permitiria a ideia.


Atualmente, o Flow é um dos podcasts com maior audiência no Brasil e conta com mais de 3 milhões de inscritos no YouTube.


Fonte: Correio do Povo

0 comentário