Depois do grande susto e fuga por causa dos fogos de artificio, Cãozinho Thor volta para casa


Camila e Rafael felizes da vida, com o cãozinho recuperado Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

Os festejos da virada do ano de um casal de Gramado foram encerrados mais cedo por causa do pavor de ter perdido o yorkshire Thor, dez anos, em Dois Irmãos, no Vale do Sinos. O cão, assustado com o barulho de fogos de artifício, escapou da casa em que se realizava a festa da família e só foi localizado no dia seguinte, depois de ser resgatado da rua por uma moradora de São Leopoldo.


Thor estava em Dois Irmãos justamente para não enfrentar sozinho em casa, em Gramado, os dissabores de uma noite de barulhos assustadores – que não causam incômodo só a pets.


— Todo ano, ele se assusta muito. Nunca deixamos ele sozinho. E, desta vez, fomos para a casa de uma tia minha, ele estava no colo o tempo todo, já assustado. Só largamos para ele beber e comer, pois estava há tempo sem se alimentar. Foram dois minutos e sumiu — conta a professora Camila Dalarosa, 27 anos.


Passavam 20 minutos da virada do ano quando a busca começou. Familiares vasculharam a casa, embaixo das camas, atrás de portas, no banheiro. Nada. A residência fica na Avenida Florestal, no bairro Floresta.


— Não pensamos que ele pudesse ter saído para rua, não passava pela nossa cabeça. Mas aí nos demos conta. Saímos procurando na vizinhança e fomos na Brigada Militar para tentar conseguir imagens da região. Fomos bem atendidos, mas naquele momento não havia como acessar o material. A festa de Ano-Novo estava acabada para nós, eu só chorava — conta Camila.


Com o namorado, Rafael Werner, 28 anos, Camila passou até as 3h do sábado (1) procurando nas ruas. Como era tarde para bater em casas, resolveram descansar. Às 7h, já estavam a postos novamente. Desta vez, na internet.


— Começamos a pesquisar grupos de compra e venda de animais, a postar e familiares ajudaram a compartilhar, também a Associação dos Amigos dos Animais de Dois Irmãos nos ajudou — diz a professora.


Thor voltou para casaArquivo pessoal / Arquivo pessoal

O esforço foi tanto que conseguiram localizar imagens captadas pela câmera de um prédio. Camila pesquisou o nome do residencial, encontrou o contato do construtor, que se dispôs a falar com a síndica. Ela liberou as imagens. Com o vídeo postado, as visualizações se multiplicaram.


A gravação mostrava Thor correndo e sendo pego por uma motorista que parou ao vê-lo no meio da rua. Detalhe: o resgate ocorreu quase na frente da casa em que os tutores do cachorro estavam, só que, naquele momento, a família ainda o procurava dentro do imóvel.


Por volta das 11h35min do sábado, o telefone de Camila tocou:


— Quando a dona Lúcia falou, comecei a chorar.


Do outro lado da linha, Lúcia Solange Rodrigues da Silva, 44, moradora do bairro Arroio da Manteiga, em São Leopoldo, relatava ter tirado Thor da rua por medo de que fosse atropelado. Ela havia ido passar a virada de ano com uma filha que mora em Dois Irmãos. Voltava para casa quando topou com Thor. Resolveu pegá-lo, mas avisou a filha sobre ter encontrado um cão perdido. Foi a filha dela que viu os apelos em redes sociais e proporcionou contato entre as famílias e a entrega de Thor aos tutores.


— Foi muito emocionante o reencontro. Antes de chegarmos lá, dona Lúcia nos mandou até vídeo dele. E agora, já avisei minha família: quem quiser passar virada de ano conosco, terá de vir na nossa casa. Não vamos sair nesse dia. Também gostaria de pedir que as pessoas não soltassem tantos fogos, que fazem mal aos animais, mas também a idosos, crianças, autistas — finalizou Camila, que, neste domingo (2), voltou a curtir, em casa, a parceria que tem com Thor desde que ele tinha quatro meses de idade.


Fonte: GZH

0 comentário