top of page
Buscar

Desde abril, 34 pessoas foram detidas por suspeita de ameaças e planos de ataque a escolas no RS


Imagem: divulgação/ Brigada Militar.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Rio Grande do Sul divulgou neste sábado (20) que 34 pessoas foram detidas neste ano por suspeita de ameaças e ataques a escolas. São 11 adultos, todos jovens, e 23 adolescentes. A maioria é do sexo masculino e tem entre 14 e 16 anos de idade.


Todos os casos foram registrados desde abril, quando quatro crianças foram mortas por um criminoso dentro de uma escola em Blumenau, em Santa Catarina. No entanto, os registros são quase todos do último mês, ou seja, foram muito poucos em maio. O monitoramento e as investigações prosseguem em todos os municípios do Estado.


A maioria dos detidos era aluno que fez algum tipo de ameaça, principalmente via redes sociais, ou que chegou a fazer algum tipo de plano de ataque contra os estabelecimentos de ensino onde estudam. Por questões de segurança, nem mesmo as regiões de onde os suspeitos são foram divulgadas, assim como detalhes sobre os casos em que estiveram envolvidos. Também não foi informado se seguem detidos ou não.


O titular da pasta, Sandro Caron, lembra o fator mais importante deste trabalho: não é o número de presos ou apreendidos, mas o fato de que nenhum plano ou ameaça se concretizou como ataque. Segundo ele, todas as ações foram preventivas, com monitoramento constante e com base no serviço de inteligência.


Caron diz ainda que foram respostas rápidas das forças de segurança em um trabalho de parceria com o Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS) e a Secretaria Estadual da Educação (Seduc).


"Nenhuma denúncia será subestimada, o alerta prossegue e as investigações continuam, ou seja, todo indivíduo maior de idade identificado como suspeito terá pedido de prisão e todo adolescente terá pedido de apreensão solicitados ao Poder Judiciário", ressalta Caron.


O secretário destaca que um dos objetivos é realizar cada vez mais um trabalho envolvendo uma grande rede de proteção coletiva com estabelecimentos de ensino, pais, alunos, professores e segurança pública em âmbito municipal e estadual.


Caso mais recente


Se um dos primeiros casos registrados foi o de um adolescente de 14 anos de Maquiné, no Litoral Norte, que foi apreendido e está internado na Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fase) após planejar um ataque e ter material neonazista localizado com ele, o fato mais recente ocorreu na última semana. Foi em Encruzilhada do Sul, no Vale do Rio Pardo.


O titular da Delegacia de Polícia da cidade, Róbinson Palomino, identificou e apreendeu diversas provas relacionadas a um grupo de jovens que planejava realizar um atentado em um colégio do município. Segundo o delegado, os celulares dos envolvidos foram apreendidos após autorização judicial.


Palomino ressalta que foram identificados três adolescentes, que seguem sendo investigados, e um adulto de 19 anos, preso na última terça-feira (16). O delegado explica que, para evitar alguma provável ocorrência mais grave, o suspeito teve prisão preventiva decretada por organização criminosa, corrupção de menores, entre outros fatos. O nome dele não foi divulgado.


Fonte: GZH



0 comentário
WhatsApp Image 2024-02-26 at 16.17.18.jpeg
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page