Eleição na Câmara: Vanazzi e Ary Moura esperam bom senso da base pela boa governabilidade



A eleição para a escolha do novo presidente(a) da mesa da Câmara de Vereadores de São Leopoldo, que acontece nesta segunda-feira, tem sido o principal fator de preocupação do governo municipal e das cúpulas do PT e PDT, partidos que governam o munícipio juntamente com seus aliados que fazem parte da base governista na Câmara de Vereadores.


O enredo que levou a mais uma disputa acirrada pela presidência da casa do povo, começa no acordo entre as bancadas da base, que definiram que a mesa seria comandada, um ano pelo PT, um ano pelo PDT e nos outros dois anos ficariam com o PTB do Vereador Marcelo Dentinho e com o Republicano do Vereador Tarzan Correa. Até aí, tudo certo, só faltou, acertar a ordem de quem presidiria ou vai presidir a Câmara a partir de 2022, já que o ano de 2021, foi tranquilo a escolha da Vereadora Ana Affonso, atual presidenta.


Até poucos dias, era quase pacífico que o futuro presidente do legislativo municipal deveria ser o Vereador Rafa Souza (PDT), que sempre teve a simpatia do sétimo andar do paço municipal, pela boa performance como líder do governo em um ano de votações complexas e polêmicas de iniciativa do executivo municipal. O PDT também apoia a candidatura e o próprio Vereador Rafa tem um acordo com a Vereadora Iara Cardoso que sempre está atenta para os movimentos da casa e é sempre uma candidata em potencial. Ou seja, o PDT e seu comando estavam em maré mansa e de maneira quase rara, não precisou realizar suas agitadas e sanguíneas reuniões internas para descascar mais um abacaxi azedo, já que em regra, os abacaxis de lá não os docinhos de Terra de Areia. Ou seja, quando o PDT se acerta, uma encrenca de fora pode agitar e este agito, se chama Iara Cardoso que tem um acordo com Rafa Souza e não com outro candidato.


Mas, um "porém" chamado Tarzan Correa, Vereador de primeiro mandato dos Republicanos, não concordou com a cronologia determinada pelos dois maiores partidos da câmara, no caso, PT e PDT e está reivindicando a presidência da mesa já em 2022. Pronto, a quase mansa eleição, se tornou um problemão para o executivo municipal que não tem nem um interesse em ter um Vereador da sua base descontente e magoado que com certeza, deverá votar contra projetos de interesse do governo Vanazzi-Ary Moura. O prefeito Vanazzi e sua coordenação política, sabem que a maioria na câmara é muito "etérea" e a margem em votações de seu interesse é muito delicada e que só um voto que mude de lado pode inviabilizar votações consideradas fundamentais. Então, temos mais ou seja, que pela leitura governista(PDT-PT), deve beneficiar o Vereador Tarzan Correa.


A leitura governista: o governo municipal que não se "encolheu" com as posições do Vereador Lemos que votou contra projetos de interesse do executivo e praticamente tirou toda a representatividade do Vereador mais votado na última eleição municipal na administração municipal, também está atenta ao desfecho da eleição desta segunda-feira, 20 de dezembro. De acordo com vozes ouvidas pela coluna, o governo municipal se declara bastante "generoso" com seus aliados e espera que principalmente os dois partidos que governam a cidade, PT e PDT, tenham a consciência que recém no segundo ano da atual gestão de Vanazzi e Ary Moura, seus representantes não deixem interesses imediatos, criarem problemas sérios para a governabilidade da cidade. Ou seja novamente, por mais que PDT e PT considerem Rafa Souza como o preferido para presidir a Câmara Municipal em 2022, a governabilidade deve estar em primeiro lugar.


0 comentário