top of page
Buscar

Energia solar supera pela primeira vez investimentos em produção de petróleo


A energia solar segue crescendo forte em todo o mundo e está prestes a ultrapassar pela primeira vez os investimentos feitos em produção de petróleo.

É o que aponta o relatório World Energy Investment 2023, elaborado pela Agência Internacional de Energia, o qual fornece uma atualização completa sobre o cenário de investimentos no setor no ano passado e aponta as tendências para este ano.

O levantamento da agência estima que o investimento global em energia limpa deve atingir US$ 1,7 trilhão em 2023, superando os gastos com combustíveis fósseis.

Trata-se de uma drástica mudança em relação aos esforços feitos pelos países nas últimas décadas e mostra que a prioridade agora é garantir a segurança energética e reduzir a dependência a combustíveis escassos e poluentes.

Para os investidores, é um sinal de que o setor está em franco crescimento e pode trazer excelentes oportunidades para quem busca valorização de capital e diversificação de renda com segurança.

Vamos entender melhor por que a energia limpa e renovável está crescendo tanto no mundo e mostrar como é possível se posicionar estrategicamente no setor para surfar seu avanço nos próximos anos.

Os tópicos que vamos abordar a partir de agora são os seguintes:

  • Países priorizam acessibilidade e segurança com energia limpa

  • Energia solar deve superar pela primeira vez investimentos em petróleo

  • Tendências em energia limpa

  • Característica dos investimentos em combustíveis fósseis

  • Como investir em energia renovável?

Países priorizam acessibilidade e segurança com energia limpa

As preocupações com acessibilidade e segurança energética estão levando os países a investir cada vez mais em energia renovável, principalmente diante da mudança geopolítica ocorrida no mundo recentemente.

Desde a invasão da Rússia na Ucrânia, o petróleo e o gás natural passaram a ser usados como instrumento de chantagem política, provocando instabilidade no fornecimento e nos preços internacionais.

E não é a primeira vez que isso acontece. Os combustíveis fósseis, devido à sua distribuição desigual pelo mundo, costumam virar arma política na mão de governantes inescrupulosos, ameaçando a segurança energética de países importadores.

Em razão disso, o que estamos vendo é um esforço cada vez maior dos países no sentido de garantir a acessibilidade a fontes renováveis de energia limpa, a fim de reduzir sua dependência a combustíveis fósseis.

Energia solar deve superar pela primeira vez investimentos em petróleo

De fato, o investimento global em energia limpa está prestes a alcançar US$ 1,7 trilhão em 2023, com destaque para a energia solar, cujos investimentos devem superar, pela primeira vez, os recursos destinados à produção de petróleo.

O relatório World Energy Investment 2023, da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês), estima que o setor como um todo receberá investimentos da ordem de US$ 2,8 trilhões neste ano, sendo que a maior parte desse montante será alocado na produção de energia renovável.

O relatório serve de referência para acompanhar os fluxos de capital em energia, examinando como os investidores estão avaliando os riscos e as oportunidades em abastecimento de combustíveis e eletricidade, minerais, finanças e também em pesquisa e desenvolvimento.

A energia renovável está sendo impulsionada por investimentos em usinas fotovoltaicas e eólicas, veículos elétricos, energia nuclear, redes de eletricidade, soluções de armazenamento, produção de combustíveis de baixa emissão, além de melhorias na eficiência.

Mas os combustíveis fósseis tradicionais não estão sendo deixados de lado. O relatório da agência estima que US$ 1 trilhão está sendo destinado à extração e produção de carvão, gás e petróleo.

A expectativa é que o investimento anual em energia limpa aumente 24% entre 2021 e 2023, impulsionado por energias renováveis e veículos elétricos, em comparação com um aumento de 15% no investimento em combustíveis fósseis no mesmo período.

O documento aponta, no entanto, que mais de 90% desse crescimento provém de economias avançadas e da China, o que apresenta um sério risco de novas divisões no setor energético global, se as transições para energias limpas não tiverem uma aceleração em outras regiões.

Na visão de Fatih Birol, diretor-executivo da Agência Internacional de Energia:

A transição para a energia limpa está acontecendo em um ritmo acelerado, o que é evidenciado pelo fato de que as tecnologias limpas estão se destacando em relação aos combustíveis fósseis nas prioridades de investimento dos países. Para cada dólar investido em combustíveis fósseis, aproximadamente 1,7 dólar é destinado à energia limpa.

Um exemplo notável desse avanço, continua Fatih, é o investimento em energia solar, que está prestes a superar os investimentos destinados à produção de petróleo pela primeira vez. Com destaque para a energia solar, as tecnologias de eletricidade de baixa emissão devem representar quase 90% dos investimentos em geração de energia.

Tendências em energia limpa O investimento em tecnologias de energia limpa está crescendo mais rápido do que o investimento em combustíveis fósseis por uma série de motivos, dentre os quais podemos destacar:

Acessibilidade As tecnologias de energia limpa, como a energia solar e eólica, têm se tornado cada vez mais acessíveis em termos de custos. Os avanços tecnológicos e a escala de produção estão permitindo alcançar reduções consideráveis nas despesas com essas tecnologias, tornando-as mais competitivas em comparação com os combustíveis fósseis tradicionais, o que vem atraindo cada vez mais interesse e investimentos no setor.

Segurança energética A dependência excessiva a combustíveis fósseis importados pode representar riscos para a segurança energética dos países, o que ficou patente diante dos eventos geopolíticos recentes e da volatilidade dos preços dos combustíveis fósseis, afetando o fornecimento e a estabilidade do mercado. Investir em tecnologias de energia limpa, que muitas vezes são baseadas em recursos renováveis disponíveis localmente, ajuda a reduzir essa dependência e a aumentar a segurança energética.

Sustentabilidade ambiental

As preocupações com as mudanças climáticas e os impactos ambientais dos combustíveis fósseis têm levado os governos e as empresas a buscar alternativas mais sustentáveis. As tecnologias de energia limpa oferecem a oportunidade de reduzir as emissões de gases de efeito estufa e minimizar os danos ao meio ambiente. O investimento em energia limpa é visto como uma forma de mitigar os efeitos das mudanças climáticas e promover um futuro mais sustentável.

Isso mostra que, à medida que as tecnologias limpas se tornam mais acessíveis e competitivas e aumentam as preocupações ambientais e com segurança energética, os investimentos em energia tendem a crescer, gerando excelentes oportunidades de investimento no setor.

Característica dos investimentos em combustíveis fósseis

A Agência Internacional de Energia prevê que os gastos com exploração de petróleo e gás aumentem 7% em 2023, retornando aos níveis de 2019.

As poucas empresas petrolíferas que estão investindo mais do que antes da pandemia são principalmente as grandes estatais do Oriente Médio. Além disso, muitos produtores de combustíveis fósseis registraram lucros recordes no ano passado, em razão da disparada dos preços desses produtos, mas a maioria desse fluxo de caixa foi destinada a dividendos, recompra de ações e pagamento de dívidas, em vez de retornar ao suprimento tradicional.

No entanto, o aumento previsto nos investimentos em combustíveis fósseis indica que, até 2023, eles ultrapassarão em mais do que o dobro os níveis necessários para 2030, de acordo com o cenário de emissões líquidas zero até 2050 da IEA. Em 2022, a demanda global por carvão atingiu um recorde, e os investimentos nessa fonte estão a caminho de serem quase seis vezes maiores do que o previsto para 2030 no mesmo cenário.

Os gastos do setor de petróleo e gás em alternativas de baixa emissão, como eletricidade limpa, combustíveis limpos e tecnologias de captura de carbono, representaram menos de 5% dos gastos totais do setor em 2022. Essa proporção pouco mudou em relação ao ano anterior, embora as maiores empresas europeias tenham uma participação maior nesse aspecto.

As maiores deficiências nos investimentos em energia limpa estão nas economias emergentes e em desenvolvimento. Embora haja alguns pontos positivos, como investimentos dinâmicos em energia solar na Índia e em energias renováveis no Brasil e em partes do Oriente Médio, muitos países enfrentam dificuldades devido a fatores como taxas de juros mais altas, quadros políticos e projetos de mercado pouco claros, infraestrutura de rede deficiente, empresas de serviços públicos com dificuldades financeiras e altos custos de capital.

É necessário fazer muito mais pela comunidade internacional, especialmente para impulsionar os investimentos em economias de baixa renda, onde o setor privado tem sido relutante em se envolver.

Como investir em energia renovável?

O cenário apresentado mostra que a energia renovável continuará registrando altos índices de crescimento nos próximos anos, abrindo uma extraordinária janela de investimento para os investidores que desejam lucrar com esse avanço esperado.

Exemplo disso foi a forte expansão da energia solar no Brasil nos últimos anos, que já é a segunda maior fonte de geração de eletricidade do país, atrás apenas das usinas hidrelétricas.

A expectativa é que esse progresso ganhe intensidade a partir de agora, o que explica os volumes recordes que o setor vem atraindo, especialmente com a construção de usinas solares fotovoltaicas, que são relativamente mais simples de estruturar e operar, além de apresentar bons níveis de rentabilidade.

Na Bloxs, os investidores que desejam ter exposição direta ao crescimento da energia solar podem participar de projetos estruturados por especialistas, com foco em valorização de capital e diversificação de renda mensal.

Ao investir em usinas fotovoltaicas, os investidores conseguem ter na carteira um sólido ativo gerador de renda, capaz de realizar pagamentos mensais em suas contas bancárias por várias décadas.

Atualmente, a Bloxs Crowdfunding está fazendo uma captação para o projeto B-Energy – Energia Solar I, que prevê uma rentabilidade de 15,29% ao ano mais a variação da inflação medida pelo IPCA no período.

Essa é uma excelente oportunidade para se posicionar estrategicamente no setor, através de uma plataforma autorizada pela CVM e que já realizou várias operações no segmento, que estão distribuindo seus resultados para os investidores.


conteudos.bloxs.com.br

0 comentário
WhatsApp Image 2024-02-26 at 16.17.18.jpeg
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page