top of page
Buscar

"Essa juventude queria uma sociedade mais igual", afirma irmã de João Carlos Haas, morto na Ditadura


Imagem: Guilbert Trendt/ Start Comunicação.

Nesta quinta-feira (28), o Programa Start News recebeu o escritor e ativista cultural, Edson Cabral, e a ativista cultural, Sônia Haas, que comentaram sobre a vida de João Carlos Haas Sobrinho, médico nascido em São Leopoldo que lutou por causas sociais e foi morto durante o período da ditadura militar no Brasil. Além disso, foi apresentado o livro "Doutor Araguaia", que conta a história e o legado de João Carlos.


Os convidados iniciaram contando a história do médico leopoldense no período que era presidente do diretório acadêmico do curso de medicina da UFRGS e foi preso por um período no início da ditadura militar. "Ele se forma em dezembro de 1964 em Medicina na UFRGS. Então sai daqui em 1966 e 'vai estudar', é o que nos diz que vai fazer. Faria uma pós-graduação em São Paulo. João passa por lá realmente, mas já estava envolvido com o PCdoB. Depois ele vai para China fazer cursos de estratégias para trabalhar com a comunidade rural", detalhou Sônia, que é irmã de João Carlos.


No retorno, é o momento em que o médico se muda para a região do Rio Araguaia, em Porto Franco, no Maranhão. "Ele mora em Porto Franco por quase dois anos e tem que sair de lá porque a ditadura estava atrás dele", completou Sônia.


Em seguida foi abordada a situação das guerrilhas na região do Araguaia. "Eram organizadas guerras longas através de convencimento das massas. Aquela região estava tendo muitos problemas de grileiros com a abertura da rodovia Transamazônica. Se tomavam terras. Então os jovens foram para lá ajudar, se instalaram nas cidades. Foram 69 jovens contra uma mobilização do Exército que chegou a trinta mil homens", explicou Edson.


O escritor e ativista cultural também exaltou a importância de Dr. Juca, como era conhecido João Carlos Haas Sobrinho na região do Araguaia. "Lá na região, especialmente em Porto Franco, ele foi o primeiro médico", contou. Também foram compartilhados relatos atuais de pessoas que conviveram com o médico no passado. "Temos relatos como 'nós tínhamos momentos de alegria na guerrilha quando João Carlos chegava, ele ensinava a cuidar e tratar'. Ou, 'quem me curou foi João Carlos Haas', sobre um homem que teve problema na apêndice", relembrou Edson.


Juca foi morto em 30 de setembro de 1972, aos 31 anos. Seu corpo nunca foi localizado. "Não ter respostas dá uma angústia, um vazio. Quando ele foi morto não fomos avisados, ficamos sabendo apenas em 1979. Estávamos aqui em São Leopoldo isolados, sem contato com ninguém de Esquerda. Esse sofrimento das famílias por não poderem ter acesso a informações até hoje permanece", declarou sua irmã. "Essa juventude estava desejando uma sociedade mais igualitária, com justiça social", completou


Os dois também falaram do livro em quadrinhos chamado "Doutor Araguaia", que conta a história de João Carlos Haas. Ele vai ser lançado no próximo sábado (30), na Feira do Livro de São Leopoldo. O evento começa às 17h30 com uma palestra de Sônia e Edson. Em seguida, às 18h30, os autores do livro, Diego Moreira e Gabriel Kolbe, farão uma fala também.


O livro "Doutor Araguaia" já pode ser adquirido de forma on-line através do site https://www.alamedaeditorial.com.br/araguaia.


Os convidados também adiantaram a produção de um documentário que está sendo gravado sobre a história de Juca. No fim deste ano a equipe volta para a região com o intuito de fazer gravações em São Leopoldo. "O filme tem essa proposta de resignificar a história para as comunidades do Maranhão, que conheceram o Juca, e para a comunidade de São Leopoldo, que tem esse herói local", exaltou Edson. "Carrego essa história como uma missão de não deixar morrer a memória do João Carlos, de tentar buscar sempre a verdade", finalizou Sônia. A previsão de lançamento é para 2024.


A gravação do Programa Start News está disponível nos canais da TV Start News no YouTube e Facebook, e tem reprise nesta quinta-feira (28), às 20h10, na radiostart.com.br.


Confira a entrevista completa:

Gustavo Bays, da Redação Start

0 comentário

Comments


labelladonnasaoleopoldo.png
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page