top of page
Buscar

Inter perde para o Juventude nos pênaltis e está eliminado do Gauchão


Imagem: Jefferson Botega/ Agência RBS.

O primeiro finalista do Gauchão foi conhecido nos pênaltis. Após mais um empate, desta vez em 1 a 1, Inter e Juventude precisaram das cobranças dos 11 metros. E o que vai para a história é a cobrança de cavadinha de Robert Renan, que custou a eliminação colorada. O Ju está de volta à decisão e espera entre Grêmio e Caxias para saber quem será seu adversário.


Nas cobranças de pênalti, o Inter teve seus gols marcados por Alan Patrick, Renê, Wanderson, Valencia e Bruno Gomes. Mercado e Robert Renan perderam suas penalidades.


Os gols do Juventude foram anotados por Gilberto, Rildo, Jadson, Nenê, Kleiton e Kelvi. Alan Ruschel errou sua cobrança.


Já teve novidade no Inter no primeiro nome anunciado no telão: após 110 dias, Rochet voltou a jogar e foi ovacionado pela torcida. E teve novidade no último nome anunciado no telão: Valencia não teve condições de começar o jogo e Lucca foi escalado, já que Alario também está fora por lesão. De resto, Coudet repetiu os nove atletas que haviam iniciado o jogo de ida, no Alfredo Jaconi. No Juventude, Roger usou 10 dos titulares de Caxias do Sul. A única mudança foi na lateral direita. João Lucas não se recuperou e deu lugar a Rodrigo Sam.


A partida começou elétrica. Nos primeiros minutos, o Juventude subiu a marcação e tentou sufocar a saída de bola colorada. Que até se atrapalhou em passes errados. Mas quando achou o espaço, chegou à frente e Renê levou perigo, batendo de fora da área, com desvio da defesa e bola pela linha de fundo.


A segunda conclusão também foi de fora da área. Aos nove, Bruno Henrique achou espaço na intermediária e soltou o pé. Por cima. Aos 12, chance clara. Lucca fez o pivô e achou Mauricio na direita. O cruzamento no segundo pau encontrou Wanderson, que concluiu mal e Gabriel defendeu.


Aos 16 minutos, o Juventude esteve muito, muito perto de fazer o gol. Renê errou outro passe no meio do campo e a bola ficou de presente para Jean Carlos. Ele acionou Edson Carioca às costas da defesa. Na saída de Rochet, o atacante bateu tirando do goleiro. A bola deu na trave, correu em cima da linha e Vitão salvou antes que entrasse.


O Juventude achava espaços em contragolpes. Aos 21, Gilberto lançou Edson Carioca pela esquerda. O atacante ajeitou para Jadson, que bateu de fora da área. Rochet saltou para espalmar. A resposta colorada saiu no minuto seguinte. Após troca de passes, Bustos cruzou rasteiro, Lucca bateu de primeira e Gabriel defendeu sem rebote.


A ousadia do Juventude foi premiada aos 31. Cobrança de escanteio da esquerda, Alan Ruschel jogou no meio da área e Zé Marcos ganhou pelo alto: 1 a 0.


O gol atordoou o Inter. Cada tentativa de reação encontrava alguma perna do Juventude no meio do caminho e um contragolpe pronto para ocorrer. A única conclusão foi uma cabeçada de Vitão, ainda desajeitado, depois de um desvio no primeiro pau.


O primeiro tempo acabou em polêmica. Aos 48, Mauricio entrava na área quando foi derrubado por Alan Ruschel. Daronco não marcou falta, e assinalou logo na sequência uma para o Juventude. Um torcedor invadiu o gramado e foi contido pelos seguranças, que o levaram para fora do Beira-Rio.


Expulsão e disputas por pênaltis


Coudet mexeu no time no intervalo. Como era necessário, Valencia foi para o sacrifício. Ele entrou no lugar de Bruno Henrique.


Não precisou de três minutos para ter uma ideia do que seria o segundo tempo. O Inter, após uma cobrança de escanteio, pressionou a saída e o Juventude escapou. Jean Carlos teve espaço na esquerda, entrou na área e chutou mal. Pouco depois, o Juventude arriscou de novo, em chute de Lucas Barbosa que passou perto.


Aos nove, porém, o Inter empatou. Mauricio sofreu falta na entrada da área. Houve uma tentativa de jogada ensaiada, mas pareceu dar errado, a ponto de a bola voltar para Aránguiz. Ele devolveu a bola para a área e Renê apareceu sozinho no meio da área. Ele cabeceou, o goleiro falhou e a bola entrou. Revisado pelo VAR, o gol foi confirmado.


A virada não veio dois minutos depois porque Mauricio perdeu uma chance clara. Valencia fez tudo sozinho, da esquerda para o meio, e chutou. A bola bateu na defesa e voltou para ele, que encontrou o camisa 27 livre. A conclusão foi por cima do travessão.


A pressão seguia intensa. Aos 14, Bustos recebeu de Alan Patrick e chutou forte, de fora da área. Gabriel defendeu meio atrapalhado.


Aos 27, outra polêmica. Nenê, que recém havia entrado, segurou Mauricio e o impediu de avançar em um contragolpe. O camisa 27 não gostou, os dois se empurraram. Daronco deu cartão amarelo ao jogador do Inter e imediatamente foi ao VAR rever a cena. E expulsou Mauricio.


Coudet, então, mexeu no time. Com mais de 20 minutos com um jogador a menos, tirou Lucca e repovoou o meio-campo colocando Rômulo.


O Juventude incomdou aos 37. Rildo encontrou espaço às costas de Bustos, correu, entrou na área e chutou. Rochet defendeu.


Aos 39, mais uma troca no Inter. Aránguiz, cansado, deu lugar a Bruno Gomes. O final da partida teve soberania das defesas. E ainda deu tempo para uma última substituição. Alegando dores, Vitão saiu para a entrada de Robert Renan.


A decisão, então, foi para os pênaltis. A primeira cobrança foi colorada. Alan Patrick abriu, gol. Gilberto igualou. Renê, com categoria, marcou. Alan Ruschel cobrou e Rochet defendeu. Mercado carimbou o travessão. Rildo deixou tudo igual. Wanderson tirou do goleiro. Jadson acertou. Valencia, ao seu estilo, converteu. Nenê levou para a sexta cobrança. Bruno Gomes fez o dele. Kleiton achou a bochecha. Robert Renan, que havia entrado no último instante, tentou dar uma cavadinha e entregou nas mãos do goleiro. Kelvi marcou e classificou o Juventude.


Fonte: GZH

0 comentário

Comments


Grupo Star superior.png
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page