top of page
Buscar

"O leopoldense sofre pela má gestão da casa de bombas da Santo Afonso", afirma diretor do Semae



Imagem: Guilbert Trendt/ Start Comunicação.

Nesta quarta-feira (6), o Programa Start News recebeu o diretor-geral do Serviço Municipal de Água e Esgotos (Semae), Geison Freitas, que comentou sobre as obras da autarquia em São Leopoldo e detalhou o problema enfrentado com a casa de bombas da Santo Afonso, em Novo Hamburgo. Geison começou comentando a obra na av. Imperatriz Leopoldina da adutora que abastece a Zona Sul da cidade. "É certo que essas adutoras vão romper novamente. Então decidimos fazer a instalação de uma válvula que liga as duas adutoras, para que a gente consiga fazer o manejo de água", explicou. Com isso, cerca de 90 mil leopoldenses não terão mais que passar dias inteiros sem água. "Então, quando precisarmos desligar a adutora de novo por rompimento ou obra, em determinados horários, que serão comunicados, a gente pega água da Zona Norte e manda pra Zona Sul, não deixando mais as pessoas dois ou três dias diretos sem água", garantiu.


O entrevistado estimou o término dessa obra e também falou de outra que deve resolver todo o problema. "Entre estra quinta (7) e sexta-feira (8) o trânsito deve ser liberado na av. Imperatriz Leopoldina. A gente também tem um grande projeto de substituição para acabar com a adutora da Imperatriz. A obra começa ainda nesse ano, mas deve levar de um ano a um ano e meio pra ficar pronta", projetou.

O tema seguinte foi o intenso recolhimento de lixo mal descartado que a Prefeitura precisa realizar. "Na catástrofe de pouco tempo atrás, o Semae recolheu, na casa de bombas da Vicentina, 20 toneladas de lixo. Não é a Prefeitura que joga o lixo no chão, é o povo. O fiscal disso é também o cidadão. E não é o pobre que está fazendo isso. A pessoa para de carro e joga o sofá, a geladeira", detalhou. Segundo Geison, muitas obras de melhorias poderiam estar sendo feitas se não fosse necessário ficar recolhendo o lixo descartado de forma errada.


Outro ponto importante do bate-papo foi a casa de bombas do bairro Santo Afonso, em Novo Hamburgo. "São Leopoldo e Novo Hamburgo, nós não somos inimigos. Santo Afonso e Vila Brás se comunicam, são um povo só. O que nós fizemos são cobranças, porque o cidadão leopoldense que paga os seus impostos está sofrendo pela má gestão da casa de bombas da Santo Afonso, realizada pela Prefeitura de Novo Hamburgo", defendeu.


Geison ainda argumentou que o único ponto alagado em São Leopoldo é na Vila Brás. "A cidade não tem mais nenhuma água nas ruas além da Vila Brás. Tem a ver com uma casa de bombas ineficaz", garantiu.


O convidado também explicou o motivo dessa ineficiência. "Uma visita técnica mostrou que tinham três bombas funcionando lá. Mas as bombas não trabalham 24h, elas superaquecem. Por isso, na nossa casa de bombas temos sete bombas, pois nós trabalhamos com quatro ou cinco; Eu preciso ir desligando uma ou outra pra elas resfriarem", explicou. "Sendo assim, se a casa de bombas da Santo Afonso tem três bombas funcionando, na maioria do tempo ela trabalhou com duas, porque uma precisa resfriar", completou.


Geison também detalhou outros serviços realizados pelo Semae no município nos últimos meses, além de projetar obras futuras e falar sobre as mudanças positivas que o governo fez com o órgão público. A gravação do Programa Start News está disponível nos canais da TV Start News no YouTube e Facebook, e tem reprise nesta quarta-feira (6), às 20h10, na radiostart.com.br.


Confira a entrevista completa:

Gustavo Bays, da Redação Start


0 comentário

Коментарі


Grupo Star superior.png
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page