top of page
Buscar

Obras na BR-116, em São Leopoldo, devem ser finalizadas neste primeiro semestre

Imagem: Ronaldo Bernardi/ Agência RBS.

As obras que poderão resolver um dos principais gargalos da BR-116, no Vale do Sinos, devem levar mais alguns meses até a conclusão. Anteriormente, a previsão de conclusão era para o fim de 2023, porém, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) estendeu o prazo. O órgão alegou que as fortes chuvas que atingiram o Estado teriam prejudicado o andamento dos trabalhos em São Leopoldo.


Na região ocorrem as obras de duplicação da ponte sobre o Rio dos Sinos, a implantação de uma terceira faixa e a nova interseção da BR-116 com a ERS-240, na Scharlau, com a construção de dois viadutos.


Nesta quinta-feira (8), questionado novamente, o Dnit comunicou que a conclusão novo do viaduto da Scharlau está prevista para o primeiro semestre deste ano, mas não especificou o mês em que isso deve ocorrer. À GZH, em outubro de 2023, o departamento chegou a informar que o viaduto ficaria pronto em março, mas desta vez se limitou apenas a falar o semestre. Conforme o Dnit, o contrato para as obras na BR-116 prevê cerca de 13 intervenções em toda a rodovia, entre Porto Alegre e Novo Hamburgo.


Sobre a duplicação da ponte sobre o Rio dos Sinos, o DNIT informa que realiza obras de contenção dos taludes no local, cuja previsão de conclusão também é neste primeiro semestre.


De acordo com a autarquia, também estão em execução os serviços no canteiro central para implantação da terceira faixa, desde a ponte do Rio dos Sinos até o viaduto da Scharlau. Este serviço está 85% concluído. Também ocorrem as obras dos novos viadutos da interseção da BR-116 com a ERS-240, na Scharlau, trabalho que já foi 80% realizado. Além disso, são feitos serviços de drenagem e pavimentação das ruas do entorno e serviços de implantação de terceira faixa. Ainda segundo o Dnit, há outros serviços em execução, como a realização de muros de terra armada no viaduto da ERS-240 e de barreiras new jersey no canteiro central em São Leopoldo.


“Em 2023, o Dnit investiu R$ 99,3 milhões em melhorias nesse empreendimento da BR-116 no Rio Grande do Sul”, informou o Departamento em nota.


Mais mobilidade, logística e segurança


Para o prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi, a obra da BR-116 é fundamental para a cidade e para as regiões Metropolitana e do Vale do Sinos. "Vai melhorar a mobilidade viária que hoje é bastante prejudicada. A rodovia é um dos principais elos entre municípios no Estado e também com todo o país. E com a trafegabilidade melhorada, são beneficiados motoristas locais e milhares de transportadores de cargas", afirma.


Vanazzi enfatiza que espera mais mobilidade, logística e um trânsito mais seguro com a conclusão dos trabalhos. "Se cumprido o calendário, em breve estaremos comemorando esta importante obra", finaliza.



“Tranqueira”


O motoboy Guilherme de Moura, de 32 anos, utiliza a BR-116 diariamente para trabalhar. Ele relata que observa os congestionamentos na via há mais de 10 anos, problema que vem aumentando gradualmente.


"O horário de pico, das 7h às 8h30min, e depois ao meio-dia, são os piores horários. No final da tarde também é uma tranqueira jamais vista", conta, reiterando que leva cerca de 30 minutos até Porto Alegre, mas se o trânsito está parado, chega a demorar uma hora para ir até a Capital.


O casal José Keller, de 59, e Rosi Keller, de 49, são donos de um estabelecimento na rua da Praia, sob a ponte do Rio dos Sinos. "Ficamos mais aqui, mas acompanhamos o movimento de carros e é uma loucura. Os horários de pico são os piores", dizem.


Eles confirmam que o fluxo de veículos é intenso e que a obra deve melhorar os problemas de congestionamento, porém, reclamam que, quando chove, a terra da obra acaba caindo e chegando até o negócio deles.


"Desce barro, nas enchentes do ano passado meus móveis ficaram todos com esse barro vermelho. Eles tinham que fazer uma contenção aqui ", acrescenta Rosi.


O Dnit informou que o transtorno deve acabar assim que finalizadas as obras da ponte.


O andamento das obras


  • 85% - Serviços no canteiro central para implantação da terceira faixa, desde a ponte do Rio dos Sinos até o viaduto da Scharlau;

  • 80% - Obras do viaduto sobre a ERS-240 e viaduto paralelo sentido Novo Hamburgo – Porto Alegre;

  • 65% - Serviços de drenagem e pavimentação das ruas do entorno do viaduto da Scharlau;

  • 20% - Serviços de implantação da terceira faixa, no canteiro central da rodovia, entre o viaduto da Scharlau até Novo Hamburgo.


Fonte: GZH

0 comentário

Comentarios


Grupo Star superior.png
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page