top of page
Buscar

São Leopoldo decreta calamidade pública com cerca de 100 mil pessoas entre desabrigados e desalojados diante de cheia histórica do Rio dos Sinos

A situação é de alerta extremo em São Leopoldo, e o prefeito da cidade, Ary Vanazzi, decretou situação de calamidade pública, diante da elevação do Rio dos Sinos, que registrou às 11h deste sábado (4), o nível de 8,07m, e com rompimento em trecho do dique junto à Casa de Bombas do Arroio João Correa.

 

O alerta máximo vinha sendo dado diante das elevações das águas e do transbordamento das bacias do Rio dos Sinos pelo volume de chuvas da última semana. A madrugada inteira foi de resgate pelas equipes e os trabalhos seguem intensos e em locais cada vez de acesso mais difícil. O Comitê de Crise, criado pelo Prefeitura, estima que cerca de 100 mil pessoas estão fora de suas casas nas Regiões Nordeste, Norte e Oeste. Os pontos mais atingidos com alagamentos de ruas e avenidas são os bairros Santos Dumont, Campina, Vicentina, Vila Brás, São Geraldo, Feitoria, Jardim Fênix, entre outros.

 

Na noite desta sexta-feira (3), Vanazzi emitiu alerta para evacuação imediata nessas regiões de São Leopoldo, pedindo que as pessoas buscassem abrigos da prefeitura ou casas de familiares e de amigos, devido a elevação abrupta do nível do Rio dos Sinos e a possibilidade de transbordo dos diques de contenção contra cheias. O Comitê de Crise seguiu a orientação de alerta da Defesa Civil do Governo do Estado, acionado às 21h, e rapidamente a força-tarefa iniciou o processo de remoção e acolhimento das famílias. Durante a tarde dessa sexta houve o transbordo do dique do Arroio Cerquinha, uma vez que a Casa de Bombas teve de ser desligada por segurança dos servidores do Semae, o que acelerou o alagamento no Jardim Fênix. Também durante a noite, o dique do Arroio Gauchinho na Vila Brás, na divisa com a Casa de Bombas da Santos Dumont, não suportou o grande acumulo de água e também transbordou, devido ao desligamento da Casa de Bombas do município de Novo Hamburgo, que entrou em colapso.

 

Por volta das 4h55 da madrugada deste sábado (4), o dique do Arroio da João Corrêa, junto à Casa de Bombas do bairro Vicentina, rompeu em sua base, alagando a Vicentina, São Miguel e Paim. Durante essas situações foram usados carros de som e veículos da Guarda Civil Municipal (GCM) para emitir os avisos de evacuação.

 

As famílias foram removidas para o Ginásio Municipal Celso Morbach e outros abrigos das Regiões Norte, Nordeste e Oeste. Com a previsibilidade de transbordo do Rio dos Sinos no Centro da cidade, o prefeito Ary Vanazzi determinou que as pessoas abrigadas no Ginásio Municipal e também em abrigos das Regiões Norte e Nordeste fossem levadas para o Centro de Eventos no bairro São Borja. Na manhã deste sábado, a prefeitura articulou a abertura de novos centros de acolhimento: no Câmpus da Unisinos e Sindicato dos Metalúrgicos.


Locais de Abrigamento

 

Ginásio do Câmpus da Unisinos

  • Entrada pelo portão 4


Ginásio do Sindicato dos Metalúrgicos de São Leopoldo

  • Endereço: avenida David Canabarro, esquina com a Presidente João Goulart, nº 106, Morro do Espelho

 

Salão Paroquial da Vila Elza

  •  rua Amaro Cavalcante, 16, Vila Elza, Arroio da Manteiga.

 

Sociedade Recreativa do Bangu

  • rua do Carioca, 345. Bairro São João Batista

 

Salão Paroquial São Roque do Parque Mauá

  • rua Veranópolis, 347, Parque Mauá


Drive-thru para doação na Unisinos


Em São Leopoldo, para facilitar as doações um drive-thru foi organizado no paradão da avenida Unisinos. As equipes estão organizadas recebendo os donativos.

 

Os itens com maior necessidade são: fralda geriátrica e infantil, sabonete líquido, lenço umedecido, alimentos prontos, água, máscaras, luvas, talheres, pratos e copos descartáveis, colchões, toalhas, cobertores, travesseiros e meias.

 

Fonte: PMSL

0 comentário

Comments


Grupo Star superior.png
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page