top of page
Buscar

São Leopoldo receberá aporte de R$ 20 milhões do governo federal para a saúde



Imagem: Valentin Thomaz/ PMSL.

Dezembro chega com boas notícias para São Leopoldo. Após estudo realizado pelo setor de Planejamento da Secretaria Municipal da Saúde (Semsad) e encaminhado ao Ministério da Saúde, ficou comprovado que o volume da produção e atendimento da população vem sendo realizado muito acima do pactuado. Por isso, agora, o Município receberá uma parcela extra, em cota única de R$ 20 milhões para a área. Atualmente, o valor repassado mensalmente é de R$ 4 milhões.

 

Os recursos extras devem reduzir o impacto nas contas do município, que mensalmente garante um aporte para cobrir essas despesas e também impactará diretamente na redução da fila de espera para médicos especialistas, na aceleração de exames de média e alta complexidade, na ampliação de recursos para cirurgias e procedimentos hospitalares e especialmente oncológicos como rádio e quimioterapia.

 

A Portaria do Ministério da Saúde, n.º 2.218/23, foi apresentada pelo prefeito Ary Vanazzi na reunião mensal do secretariado, realizada na manhã desta terça-feira (12). De acordo com ele, esse recurso é fruto de um trabalho coletivo liderado pelo Programa Nova Saúde São Léo, que conta com a colaboração dos servidores, somados ao compromisso político do presidente Lula. “Esse recurso será fundamental aqui pois mensalmente temos um grande aporte do recurso livre para a saúde, que é de responsabilidade do Município, do Estado e da União. A União dá um passo gigante com esse recurso para o nosso Fundo Municipal de Saúde que é evidentemente resultado da Nova Saúde São Léo, da modernização, dos avanços, do trabalho dos servidores, da criação da Fundação de Saúde, dos lançamentos e do registro dos atendimentos, somados com esta retomada de projetos e recursos para os municípios coordenados pelo presidente Lula que vai qualificar ainda mais a nossa saúde pública”, comemorou Vanazzi.

 

Durante o anúncio, a secretária de Saúde, Andréia Nunes, afirmou que o estudo apresentado foi fundamental na garantia dos recursos. “A nossa área técnica realizou esse estudo detalhado ao Ministério da Saúde, mostrando todo o serviço executado com recursos municipais. O documento comprovou que havia uma diferença no número de atendimentos pagos com o que era ressarcido. Fizemos então um pedido chamado tecnicamente de extrapolamento de produção, que foi acolhido pelo Ministério da Saúde e com isso temos como dar esse retorno ainda maior para a nossa população, com agilização nas filas e na espera por exames, consultas e tratamentos”, destacou.


Fonte: PMSL

0 comentário

Comments


Grupo Star superior.png
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page