Bandeira vermelha passa a valer a partir de quarta-feira em todo o Estado

O governador Eduardo Leite confirmou, em vídeo, na tarde desta terça-feira (27), que o Piratini está editando um novo decreto para permitir o retorno das aulas presenciais no Rio Grande do Sul. Logo após, no site do governo, foi confirmado que o decreto será publicado nesta terça-feira e entrará em vigor à 0h de quarta-feira (28).


O governo vai alterar pontos nos sistemas de cogestão e extinguir a salvaguarda regional de bandeira preta, colocando todo o Estado sob bandeira vermelha. A data e o horário de publicação do novo decreto ainda não foram informados.


Nós queremos nossas crianças voltando às aulas presenciais com cuidados, com protocolos, mas as aulas precisam ser presenciais, especialmente para a Educação Infantil e para a alfabetização. É uma luta que travamos desde o fim do ano passado e que agora diante da interferência do Judiciário acaba sendo prejudicada, disse o chefe do Executivo gaúcho.

O governador afirma que reconhece a legitimidade e soberania das ações do Judiciário no processo, mas entende que a ação é “absolutamente equivocada e incoerente”.


Leite também confirmou a mudança na salvaguarda de bandeira preta. O dispositivo vai continuar existindo, mas será acionado apenas se a ocupação de leitos com pacientes confirmados para o coronavírus estiver em ciclo de piora em 14 dias. A salvaguarda será desativada quando ocorrer um ciclo de pelo menos 14 dias de redução da ocupação de leitos de UTI ocupados por pacientes infectados. Já a salvaguarda da bandeira regional será extinta e substituída pela salvaguarda de bandeira vermelha.


Assim, todo o Estado estará sob bandeira vermelha a partir da publicação de um novo decreto. Leite também antecipou a substituição do atual modelo de distanciamento por outro "mais aprimorado e adequado a essa nova fase que estamos vivendo na pandemia" no próximo mês.

— É o último ajuste que determinei no modelo de distanciamento controlado que existe nos termos atuais em que ele se apresenta. Esse modelo vai seguir existindo até o dia 10 de maior quando nós vamos completar um ano de sua implementação no Rio Grande do Sul.

Por Kelly Matos/ZH

0 comentário