Centro Jacobina prestou mais de 4 mil atendimentos em 15 anos


Desde que foi criado, em 19 de outubro de 2006, o local já atendeu mais de 4 mil mulheres, considerando apenas de primeiro acolhimento, ou seja, a primeira vez que as mulheres buscaram ajuda. | Imagem: Thales Ferreira/PMSL.

Há 15 anos, as mulheres conquistaram um importante espaço de combate à violência doméstica e familiar em São Leopoldo. O Centro de Referência Jacobina presta atendimento às mulheres em situação de violência, realizando um serviço de acolhimento com acompanhamento social, psicológico e jurídico. A comemoração do aniversário do local ocorreu na segunda-feira, 18 de outubro, com a presença de toda rede de proteção.


A coordenadora do Centro Jacobina, Rosâgela Zanini, destacou os reflexos da pandemia com o aumento do isolamento de mulheres vítimas de violência. “Em 2019, ocorreram 1347 atendimentos entre acompanhamentos e primeiros acolhimentos. Em 2020, foram apenas 606. Neste ano, de janeiro a setembro, já tivemos 1264 acompanhamentos e 123 primeiros acolhimentos, totalizando até o momento 1387 atendimentos. Nestes 15 anos, totalizamos 4311 acolhimentos. Nossa luta é diária e permanente”, enfatizou a coordenadora.


Na ocasião, a secretária de Políticas Para Mulheres, Margarete Simon Ferretti, fez um agradecimento especial à equipe da Sepom e Centro Jacobina. “As mulheres quando chegam aqui, chegam tristes, abatidas, desiludidas e desesperançadas. Após o atendimento com as nossas técnicas, elas saem tendo outra visão de mundo, tendo uma perspectiva de é possível ser cidadã, respeitada, dona do seu corpo dona da sua vontade” disse a secretária que também agradeceu a artista Verte que assina a nova pintura na fachada do centro. O prefeito Ary Vanazzi ressaltou que a excelência do trabalho executado é reflexo das ações do governo que ocorrem de forma integrada. “Não há política pública sem transversalidade. Ela possibilita fazer mais onde há pouco recurso e dá mais amplitude para a política”, disse o prefeito.


A comemoração também teve a presença da presidenta da Câmara de Vereadores, Ana Affonso (PT); da juíza do Juizado de Violência Doméstica de São Leopoldo, Michele Scherer Becker; a promotora de Justiça da Vara de Violência Doméstica do Ministério Público do RS, Marcela Romera; da titular da Delegacia de Polícia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), Michele Arigony; do Comandante do 25ª BPM tenente coronel Jacques Fernando Pires Peiter Ackermann; Patrulha Maria da Penha soldado Andreia e soldado Amaro; e da coordenadora do Centro Regional de Abrigamento para Mulheres, Cristina Donay.


Centro Jacobina


Desde que foi criado, em 19 de outubro de 2006, o local já atendeu mais de 4 mil mulheres, considerando apenas de primeiro acolhimento, ou seja, a primeira vez que as mulheres buscaram ajuda. De acordo com a Diretora de Políticas de prevenção da Secretaria de Políticas para Mulheres (Sepom), Suelen Aires Gonçalves, “em média são realizadas 173 atendimentos mensais, o que inclui primeiro acolhimento mais acompanhamento, de forma presencial e virtual”.


O Centro Jacobina é referência no atendimento a mulheres vítimas de violência no município, prestando atendimento gratuito a mulheres, mulheres transexuais e travestis em situação de violência de gênero. Ele está localizado na rua Brasil, 784, Centro, e funciona de segunda a sexta-feira das 8h às 14h presencialmente no local, e das 8h às 17h pelo número de whatsapp 51 9788-3212. Também é possível entrar em contato pelo telefone 3592-2184.


É um serviço oferecido através da Secretaria de Políticas para Mulheres (Sepom) que disponibiliza apoio psicossocial e jurídico. Não é preciso registrar boletim de ocorrência para receber assistência no local.


Em caso de emergência a mulher deve ligar para o 190, da Brigada Militar, ou para o 153 da Guarda Civil Municipal.


Fonte: PMSL

0 comentário