top of page
Buscar

Inter vira no final e vence o Grêmio por 3 a 2


Imagem: Jefferson Botega/ Agência RBS.

Um Gre-Nal emocionante do aquecimento ao último lance. O Inter venceu o Grêmio, de virada, por 3 a 2, no clássico 441, válido pela 10ª rodada da primeira fase do Gauchão graças a um gol aos 51 minutos do segundo tempo. Alan Patrick, de pênalti, determinou a vitória que Mauricio e Alario haviam aberto (Renê contra e Villasanti marcaram para os tricolores). Com o resultado, o time de Coudet assegura a liderança. No final, um empurra-empurra encerrou o jogo com os ingredientes de sempre.


O mistério do Gre-Nal que durou a semana toda se estendeu ao aquecimento. Às 17h35min, Bustos deu um carrinho em Valencia, no que parecia ser o último lance do bobinho, e o equatoriano caiu. Ficou sentado. O lateral estendeu a mão e voltou ao trabalho. Integrantes da comissão técnica rodearam o centroavante, que levantou mancando. Quatro minutos depois, saiu mancando rumo ao vestiário, sem finalizar a atividade. Às 17h50min, quando o locutor oficial do Beira-Rio anunciou a escalação, a arquibancada deu um urro como se fosse gol. Assim, o Inter foi confirmado com o time que se especulava, sem Rochet e Mercado, ambos lesionados. Anthoni e Robert Renan titulares.


No Grêmio, Renato surpreendeu. Da escalação à formação, um time inesperado entrou em campo. A opção foi pelo desenho em 4-4-2, mas com Rodrigo Ely em vez de Geromel na defesa. O meio foi preenchido com quatro jogadores que têm na origem a posição de volante: Villasanti, Du Queiroz, Dodi e Pepê. Na frente, mais novidade: JP Galvão foi o parceiro de Gustavo Nunes, com Pavon no banco.


O Inter precisou de um minuto e meio para fazer Marchesin trabalhar. Valencia recebeu na área, pela direita, trouxe para dentro e bateu. O chute não saiu forte, e o goleiro defendeu. Depois de nove minutos atrás, o Grêmio respondeu. Dodi ganhou de Renê na esquerda e cruzou, JP Galvão cabeceou e Anthoni pegou, largou e pegou de novo.


Aos 15 minutos, o Grêmio abriu o placar em um lance típico de domingo à noite, no tempo de Os Trapalhões. Em um ataque desprentensioso pela esquerda, Reinaldo cruzou e não havia nem sequer um jogador tricolor na área. Renê, sozinho, tentou dominar ou algo assim e jogou contra. Anthoni, que não gritou nem saiu, ficou no meio do caminho. A bola entrou de mansinho.


Os instantes seguintes foram de recuperação de ânimo do lado do Inter e de consolidação do Grêmio. Os visitantes, aos 24, atacaram com João Pedro pela direita, quando entraria na área e dividiu com zagueiros. O Inter recuperou a bola, foi à frente e executou um ataque ao seu estilo. De pé em pé, rodando de um lado para o outro, Mauricio iniciou a jogada e apareceu no espaço livre entre zagueiros e volante. Alan Patrick deu o passe e o jovem colorado bateu da intermediária, no cantinho de Marchesin: 1 a 1.


Logo depois, o Inter não virou por centímetros. Bruno Henrique recebeu na direita, no fundo e cruzou para trás. Alan Patrick concluiu de primeira, por cima. Até o intervalo, a tônica do jogo foi o Inter com a bola e o Grêmio especulando e se defendendo. Mas o time de Renato soube segurar e terminou sem ser tão agredido como a dominação territorial indicava.


A segunda etapa começou sem substituições. E com o Inter tentando se impor. Aos quatro minutos, Mauricio achou Renê na esquerda, o lateral cruzou e Valencia dominou, girou e bateu. Kannemann, com o corpo, salvou.


Aos 10, o Grêmio atacou pela esquerda, com Pepê e depois com Gustavo Nunes, que achou Villasanti. O paraguaio passou por toda a defesa do Inter, inclusive ficando com um rebote de Renê, na dividida. Na cara do gol, teve tranquilidade para tirar de Anthoni: 2 a 1.


Cinco minutos depois, o empate colorado esteve próximo. Wanderson pegou uma sobra na entrada da área e chutou. A bola desviou em Aránguiz e enganou Marchesin, que pulava para o outro lado. Ainda assim, o goleiro teve agilidade para voltar atrás e defender.


O Grêmio voltou a levar perigo quando João Pedro atravessou o campo com a bola, entrou na área e foi travado na hora do chute. Gustavo Nunes pegou o rebote e isolou. Coudet mexeu no time aos 17. Saiu Bruno Henriqie, entrou Alario. No primeiro toque na bola, o centroavante recebeu de Mauricio, girou e bateu. Marchesin falhou: 2 a 2.


Aos 23, Renato mexeu. Saíram JP Galvão e Dodi, entraram André Henrique e Pavon. O Grêmio subiu a pressão. E encontrou espaços na defesa do Inter. Faltava, porém, conclusão. O novo cenário fez Coudet trocar o time novamente. Tirou Valencia e colocou o estreante Bruno Gomes. Mais uma substituição, agora no Grêmio, aos 32. Cansado, Gustavo Nunes deu lugar a Nathan Fernandes. Aos 35, o Inter voltou a atacar. Em uma trama pela esquerda, Alan Patrick, Alario e Wanderson tocaram de primeira, Aránguiz recebeu na área e chutou. Marchesin defendeu. Foi a última participação de dois desses jogadores. Wanderson, Aránguiz e Mauricio saíram, entraram Wesley, Lucca e Rômulo.


Aos 48, quando nada mais parecia ocorrer, a bola chegou em Alan Patrick. O capitão dominou, driblou Kannemann e foi derrubado na área. Pênalti. O mesmo Alan Patrick cobrou com categoria e ganhou o jogo. Inter 3 a 2.


Pouco antes do apito final, André Henrique, Nathan Fernandes e Vitão começaram um empurra-empurra que envolveu todos os jogadores e até seguranças. Anderson Daronco administrou sem expulsar ninguém.


Fonte: GZH

0 comentário

Comments


Grupo Star superior.png
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page