Conheça as dicas da Monja Coen, para um 2022 mais equilibrado no aspecto físico e mental

Comece não sendo grosseiro. Use palavras amorosas. Compreenda mais do que querer ser compreendido

A cura depende de você, de mim, de todos nós - Antonio Valiente / Agencia RBS

Neste sábado (1º), é o Dia Internacional da Paz Mundial. Primeiro dia do ano de 2022. Não seja grosseira, grosseiro. Use palavras amorosas. Não brigue com ninguém, nem com você. Seja gentil. Compreenda mais do que querer ser compreendida. Que este seja o primeiro dia de muitos dias de tranquilidade, respeito, cuidado e ternura. Será que este ano conseguiremos construir uma cultura de paz, justiça e cura da Terra e de todos os seres? Novos cepas da covid-19 parecem negar qualquer esperança de cura imediata para todos. Lutas armadas em alguns países, crimes e assaltos em outros, ódios sendo estimulados nos surpreendem quando pensávamos que o sofrimento passado em todo mundo devido à pandemia do coronavírus teria nos transformado. Parece que não.

Algumas pessoas despertaram, se deram conta de que estamos todos interligados a todos. Há brasileiros vivendo no Exterior e enviando ajuda aos que estão sofrendo, passando fome e sem perspectivas de trabalho.

O que você se propõe a fazer para minimizar dor e sofrimento? O Ano-Novo representa um momento de alegria. No Hemisfério Norte, neva. Durante os meses muito frios não há frutas, verduras, flores, insetos, passarinhos. A terra congelada parece estar sem vida.

A primeira árvore a exibir suas flores, as cinco pétalas brancas da ameixeira, trazem fragrância, pássaros, insetos e uma grande festa humana: podemos sair de nossas cabanas, casas, abrigos. Haverá alimentos frescos, menos frio e mais afeto.

O que você se propõe a fazer para minimizar dor e sofrimento?

Aquecimento global, poluição, guerras, abusos, preconceitos. Há tanto a ser feito. Não jogue lixo nas ruas e nas águas. Recolha o papel de bala que alguém deixou cair. Sorria mais, use palavras mais gentis e adequadas. Eis a oportunidade de nos transformarmos na mudança que queremos no mundo.

Que bom, não é? Que bom termos essa oportunidade de transformar uma cultura de violência em uma cultura de paz. Precisará de esforço, resiliência, unidade: todos por um e um por todos, como os mosqueteiros. Somos um só corpo e uma só vida.

Cultura de paz não é passividade: é atuação de sabedoria e compaixão, de gratidão e respeito transformando e transmutando os pensamentos egoístas e pequenos em ações ecológicas grandiosas. Nas coisas simples do seu dia a dia.

Todos temos condições de nos tornarmos parte dessas mudanças. Eu me inscrevi em uma semana da atividade física, de 3 a 7 de janeiro, com a Fernanda Miashiro, uma professora de educação física de São Paulo, especializada em pilates clássico e treinamento funcional. Depois dessa semana, posso me inscrever num programa de 21 dias. Sim, cientistas e pesquisadores concluíram que precisamos de 21 dias para fazer mudanças físicas e psicológicas. Vamos ver se conseguirei dar continuidade depois dos 21 dias.

Eu também tenho um programa de 21 dias para pessoas que querem aprender a meditar, a conhecer a si mesmas e fazer escolhas em direção a mudanças. Vamos juntas e juntos? Vamos nos comprometer a transformar nossas vidas e assim a vida do planeta? Cada uma, cada um de nós que se transforma, mexe na trama da vida.

O primeiro gesto, o primeiro passo precisa ser feito. Levante-se e inicie hoje: medite, cuide da sua alimentação, do sono, do que alimenta sua mente: leituras, conversas, programas de TV e rádio, jornais, filmes. Dê início a atividades físicas orientadas por especialistas para ter saúde física, mental e social.

A cura depende de você, de mim, de todos nós. Mais vacinas, mais remédios, mais cuidados. Chegou o Ano-Novo. Façamos que seja muito melhor de tudo que já vivemos.

Chegou, segundo o horóscopo chinês, o ano do Tigre, animal forte, veloz, macio, ágil, esperto. Pense nas qualidades dos tigres e das tigresas. Que nos inspirem.


Fonte: GZH

0 comentário
Sem título.png
Caixinha de perguntas Start.png