top of page
Buscar

Suspeito de matar professor de 74 anos é preso em Novo Hamburgo

A Polícia Civil anunciou, nesta terça-feira (23), que prendeu o suspeito de matar o professor aposentado Raul Roberto Plentz, de 74 anos, no bairro Lomba Grande, em Novo Hamburgo. O preso é um homem de 54 anos, que soma antecedentes por roubo, furto e associação criminosa. Ele vai responder por latrocínio.


O crime foi descoberto no último sábado (20), próximo às 11h20min, quando o motorista que levava a vítima para sessões de hemodiálise não foi atendido. Ele então chamou a Brigada Militar, que localizou o cadáver.


Antes de morrer, o idoso teve as mãos amarradas em um corrimão de escada e a boca amordaçada. O corpo dele tinha três ferimentos de arma branca na região do abdômen.


A titular da 2ª Delegacia de Polícia (DP) de Novo Hamburgo, delegada Marina Goltz, destaca que a prisão ocorreu após horas de análise de câmeras de segurança. Em uma das imagens, foi possível avistar o suspeito, que reside em uma casa próxima. Ele também prestava serviços de jardinagem ao professor.


Ainda de acordo com Marina, no dia do crime, a prima do idoso recebeu uma foto através do telefone dele. A delegada acredita que a imagem tenha sido enviada sem querer, porque mostra a toalha e o piso da cozinha do suspeito.


Também foram identificadas chamadas oriundas do celular do idoso, realizadas pelo suspeito para pessoas de seu relacionamento. Como se não bastasse, a perícia também aponta que a vítima já estava morta no horário em que a fotografia foi enviada.


"A prima da vítima recebeu a foto, às 7h45min, no sábado. Pelo relato da perita que atendeu o local do crime, nesse horário o idoso já estava em óbito, porque a morte teria ocorrido cerca de 12 horas antes da descoberta do corpo. Acreditamos que o envio foi feito por engano, pois o suspeito não teria habilidade de operar aquele aparelho celular. Posteriormente, também confirmamos que a toalha e o piso presentes na foto eram da cozinha do suspeito”, destacou a delegada.


O preso foi encaminhado ao sistema prisional, ficando a disposição da Polícia Civil para aprofundamento das investigações. Ele optou por ficar em silêncio, sem confirmar nem negar a autoria do crime.


Fonte: Correio do Povo

0 comentário

Comments


Grupo Star superior.png
Caixinha de perguntas Start.png
bottom of page